Sinais de que você está num relacionamento abusivo e como superar

Muitas vezes atitudes abusivas são confundidas ou consideradas como demonstração de amor e cuidado. Veja os sinais de que você possa estar num relacionamento abusivo e como superar

Primeiramente, quando estamos em um relacionamento, muitas vezes, pode ser difícil ter uma visão completa da relação. Nem sempre conseguimos nos distanciar o suficiente para ver o panorama completo. Seja um namoro, casamento, ou qualquer tipo de relacionamento, situações de abuso podem estar presentes e não serem percebidas.

O que caracteriza um relacionamento abusivo?

Relação abusiva é aquela onde predomina o excesso de poder sobre o outro. É o “desejo” de controlar o(a) parceiro(a), de “tê-lo(a) para si”. Em suma, esse comportamento, geralmente, inicia de modo sutil e aos poucos ultrapassa os limites causando sofrimento e mal-estar.

De acordo com as especialistas do Instituto do Casal, Denise Miranda de Figueiredo e Marina Simas de Lima, o relacionamento abusivo é um tipo de relação de desigualdade em que pode acontecer abuso físico, emocional ou verbal entre os parceiros. “Além disso, o(a) parceiro(a) que está passando por essa situação pode sofrer com o ciúme e possessividade exagerados, ser controlado(a) sob decisões e ações do parceiro(a), sentir-se isolado(a) até mesmo do convívio com amigos e familiares e por vezes obrigado(a) a ter relações sexuais”.

Quando se fala em relacionamento abusivo é comum que as pessoas imaginem a relação amorosa entre um casal, principalmente a relação em que o homem é abusador e a mulher é a vítima. No entanto, o abuso também pode acontecer com a inversão desses papéis, por isso, vale lembrar que as relações abusivas podem acontecer em qualquer tipo de relacionamento, seja ele amoroso, entre amigos, profissional ou familiar.

Nessas situações é comum que a vítima se sinta mal consigo mesma, podendo sofrer com baixa autoestima, insegurança, ansiedade ou depressão. As agressões presentes neste tipo de relação podem ser diferentes de uma para outra e isso pode tornar ainda mais difícil para as vítimas reconhecerem alguns sinais. Alguns exemplos de agressões em um relacionamento abusivo podem ser:

  • Abuso emocional;
  • Agressões verbais;
  • Perseguição (stalker);
  • Abuso econômico, em que controla o dinheiro da vítima ou a impede de trabalhar e estudar;
  • Abusos físicos (violência física) e comportamentos agressivos como chutar portas, esmurrar objetos, etc;
  • Ameaças;
  • Agressão sexual ou violência sexual.

Como saber se você está em um relacionamento abusivo?

É muito importante se atentar aos sinais e excessos em relação ao controle: possessividade, ciúmes, violência, agressividade, e questionar se tais atitudes têm causado desconforto ou mal-estar.

Ao perceber que está sofrendo um abuso ou que está sendo abusivo é fundamental que o(a) parceiro(a) busque apoio especializado (psicológico e, em determinados casos, jurídico).

Para Denise, muitas vezes é necessário apoio de um especialista para ser possível enxergar que está vivenciando uma relação abusiva e poder romper com esse padrão e toxicidade no relacionamento. “Neste sentido, o Instituto do Casal, através de sessões de terapia, pode proporcionar uma “visão de alguém de fora” da relação, contribuindo para empoderar a pessoa a perceber-se nessa relação e se sentir capaz de sair dela ou, se for o caso, a quebrar esse “padrão” estabelecido.

Além disso, separamos alguns indicativos que podem ajudar nesse processo de “descoberta” e que servem de alerta para situações abusivas no dia a dia. Ao se identificar com alguns dos tópicos, aconselhamos que separe um momento para refletir, para conversar com alguém que você confie e buscar ajuda.

1. Demonstra insegurança e ciúmes excessivo

Uma das principais características atribuídas ao perfil de uma pessoa abusadora é a insegurança e o ciúme extremo.

Esses dois traços da personalidade de alguém abusivo são fatores que contribuem para que os outros sinais aconteçam, tais como o ato de controlar todas as ações do outro, intimidação, chantagem e jogos emocionais para que a vítima se sinta culpada.

2. Faz você pensar que está louco(a)

De alguma forma, seu(ua) parceiro(a) faz com que você pense que todos os problemas da relação são loucura da sua cabeça ou quando você questiona alguma atitude aponta para você e diz que está louco(a).

3. Faz você se afastar das pessoas

Muitas vezes, a pessoa abusiva provoca esse isolamento da vítima. Assim, se sentindo sozinho(a) e tendo somente seu(ua) parceiro(a) ao seu lado, ele(a) pode se sentir ainda mais fragilizado(a) e dependente desse relacionamento nocivo.

4. Faz você se sentir incapaz

É comum que a pessoa que exerce o abuso tenha atitudes que façam a outra se sentir incapaz. Pode usar discursos que façam o(a) parceiro(a) se sentir inferior, levando a enxergar o(a) abusador(a) sempre como a figura superior.

Frases como “você não é bom nisso”, “desista, não é para você”, “você não faz nada certo” e outras do mesmo gênero podem estar presentes dentro deste sinal de relação abusiva.

5. Controla todas a suas ações

Você se sente sempre controlado(a), como se tivesse todos os seus passos, pensamentos e atitudes analisados por seu(ua) parceiro(a)?

É importante reparar no quanto o(a) seu(ua) parceiro(a) se demonstra controlador(a) em relação às suas ações, as pessoas com quem você anda e com quem você conversa. Além disso, no fundo, você sabe que esse controle não é uma preocupação saudável, mas sim uma forma de te manipular? Esses sinais são cruciais para compreender se sua relação é tóxica.

6. É agressivo(a)

Esse é um sinal de alerta grave. Uma relação onde acontecem agressões é extremamente abusiva. Nesse caso, não se trata apenas da agressão física, mas sim da moral e psicológica.

Se você está em um relacionamento em que as violências se tornaram mais graves, saiba que é possível buscar ajuda em ONG’s que possam te acolher e existem leis de proteção a esses casos e também através de acompanhamento psicológico.

Como sair de um relacionamento abusivo?

Muitas pessoas que olham de fora podem questionar, por senso comum, por que as vítimas simplesmente não vão embora. A resposta a essa pergunta envolve uma série de fatores.

Nem sempre a vítima sabe que está em um relacionamento abusivo, pois está envolvida demais nesse relacionamento violento e nocivo que acaba naturalizando as ações do parceiro. Além disso, alguns sinais de abuso são sutis, o que torna ainda mais complicado de se perceber a agressão psicológica que a vítima sofre.

Para Marina, o acompanhamento psicológico pode ser bastante positivo nesse processo. “Em um momento vulnerável como este, apenas o apoio de pessoas próximas pode não ser o suficiente para que se consiga passar por essa fase. Além disso, os abusos sofridos pela vítima podem levá-la ao um quadro depressivo ou de ansiedade, que precisam ser acompanhados por um profissional que saiba dar os cuidados específicos para a saúde mental do paciente”, complementa.

A intenção desse artigo é que mais pessoas possam refletir sobre esses abusos, muitas vezes normalizados pela sociedade, encarados como gestos de ciúmes e preocupação. E também para reforçar que a culpa não é da vítima e que é possível ajudar essas pessoas.

Portanto, se você acredita que está em um relacionamento abusivo, peça ajuda! Não desista de ser feliz e buscar um relacionamento saudável. O amor deve ser compartilhado e não aprisionado em atitudes nocivas como as listadas nesse artigo.

Tem dúvidas de como lidar com esse processo? Nós, Denise Figueiredo e Marina Simas, sócias-diretoras do Instituto do Casal, podemos te ajudar! Entre em contato pelo e-mail contato@institutodocasal.com.br  ou pelo telefone: (11) 99404-2702

Acompanhe nossas Redes Sociais:

Instagram: www.instagram.com/institutodocasal    

Facebook: @institutodocasal

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×