Meu enteado vem morar comigo, e agora?

Segundo os últimos dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) sobre o Registro Civil, das mais de 1 milhão de uniões registradas, 23,6% foram de recasamentos. Os recasamentos são as uniões em que pelo menos um dos membros do casal já foi casado. Naturalmente, a chance de o casal ter filhos das relações anteriores é grande. Assim, cada vez mais homens e mulheres assumem novos papéis dentro dos relacionamentos afetivos: o de madrastas ou o de padrastos com os enteados.

Segundo a psicóloga Marina Simas de Lima, o recasamento representa uma nova etapa na vida familiar e provoca mudanças importantes no cotidiano e nas relações familiares. Em muitos casos os filhos do outro casamento acabam indo morar junto com o novo casal.

“Essas transformações surgem dos novos papéis, regras e combinados que essa nova família terá. Porém, quando envolve filhos de relações anteriores, homens e mulheres são obrigados a exercer funções parentais com os enteados, antes ou ao mesmo tempo em que estão construindo sua identidade conjugal. Esse processo pode ser bem desafiador”.

Para a psicóloga Denise Miranda de Figueiredo, alguns casais podem ter dificuldade para separar a relação com o (a) ex parceiro (a) da função parental. Além disso, nem todos estão preparados para compartilhar a parentalidade, ou seja, cuidar ou educar crianças que não são seus filhos, nos papéis de madrasta ou de padrasto. Quando a pessoa não tem filhos, isso pode ser ainda mais difícil”.

Limites e combinados são fundamentais

Marina e Denise ressaltam que no início, o mais importante é que sejam feitos combinados e definidos limites. “Pais e mães devem sempre manter o papel de cuidadores e responsáveis principais pelos filhos. Porém, no dia a dia, é importante que madrastas e padrastos ofereçam apoio a esses cuidados, respeitando sempre os limites e regras impostos pelos pais”.

Ser madrasta é mais difícil do que ser padrasto?

Infelizmente, a sociedade criou um preconceito em relação ao papel da madrasta, presente até mesmo em histórias e contos infantis. Porém, cada situação é única e deve ser avaliada sob diferentes perspectivas. Em alguns casos, a mulher pode sentir ciúmes da criança, pode se sentir incomodada com o contato do marido com a ex mulher ou ainda se sentir sobrecarregada em relação a assumir um papel de cuidadora dessa criança”.

“Claro que essa mesma situação pode acontecer com o homem no seu papel de padrasto. Entretanto, as dificuldades de ser madrasta podem ser maiores por conta da expectativa da sociedade em relação à mulher quanto ao instinto maternal. Além disso, em geral, as tarefas domésticas e os cuidados com os filhos tendem a ser assumidos mais pela mulher do que pelo homem. Casais que conseguem equilibrar essas atividades ainda são exceção”, ressalta Denise.

Porém, lembra Marina, nem todas as mulheres nascem para ser mães ou têm essa vocação ou instinto. “Assim, quando esta mulher está em um casamento em que precisa assumir o papel de madrasta, será um processo bastante complexo e vai precisar de ajustes e combinados bem delimitados para dar certo. Ela também vai precisar do apoio do parceiro. O contrário também se aplica. Quando é o homem que não tem filhos, pode passar pelo mesmo desafio”.

Para o bem de todos

Para que a nova configuração familiar funcione de uma forma saudável, o ideal é que a transição seja feita de forma gradual e que se construam vínculos afetivos baseados no amor e no respeito.
“Madrastas e padrastos podem ser uma importante fonte de apoio e suporte na criação e na educação das crianças e quanto mais os ex parceiros tiverem uma boa relação entre si, melhor será para o novo casal e para os filhos”.

“Outro ponto importante é que não existe divórcio dos filhos, ou seja, o casamento termina, mas os papéis de pai e mãe são para sempre e não devem ser delegados para os novos cônjuges. Em primeiro lugar para o bem-estar da criança ou adolescente e em segundo para o do casal”.

“Por fim, se você decidiu se casar com alguém que já tem filhos de um relacionamento anterior, é preciso estar consciente de todos esses desafios e abrir-se para ajudar o (a) parceiro (a) dentro das suas possibilidades”.

 

Confira em nosso blog outros assuntos que podem te ajudar!
Tem dúvidas de como lidar com esse processo? Nós, Denise Figueiredo e Marina Simas, sócias-diretoras do Instituto do Casal, podemos te ajudar!
Entre em contato pelo e-mail contato@institutodocasal.com.br  ou pelo telefone: (11) 99404-2702

Acompanhe nossas Redes Sociais:

Instagram: https://www.instagram.com/institutodocasal

Facebook: https://www.facebook.com/institutodocasal

146 respostas

  1. Gostei muito do que vc disse,
    Eu tenho 30 anos vou fazer 5 anos de casada, e tenho um enteado de 10 anos que mora com a Gente a 3 anos, e pra mim não está sendo fácil lidar com o desrespeito dele comigo, porque a mãe dele não gosta de mim, e como ele è muito apegado a mãe também não aceita morar com a Gente, a mãe não tem condições de criar e por esse motivo ela deu a guarda da criança ao meu esposo e só tem direito a visita a finais de semana. Ela não è muito afetiva com a criança, e eu pôr sinal não sou bem aceita por ele. Porque ele queria a mãe com o pai. È eu já não sei o que faço, porque ela já tentou me prejudicar judicialmente falando pra poder me afastar do pai. Já sentamos e conversamos várias vezes. È ele existe em dizer que não me aceita…..

    É um mal aluno, porque não faz lição
    Presciso de ajuda antes que eu acabe distruindo meu casamento por causa d3 uma criança de 10anios

    1. Mesmo com peculiaridades entre o papel do padrasto ou madrasta, as dificuldades são imensas em agregar uma criança que é um “estranho” para um novo relacionamento. Mas na minha posição, o pior realmente é a essência desse pequeno ser, o “DNA” de comportamento, o rol educacional que por vezes se conflita com a sua perspepectiva de realidade. No qual, colocamos até mesmo em dúvida se a escolha pela mãe ou pelo pai dessa criança foi decisão correta. Outro ponto bem mais complexo é você doutrinar, mesmo que parcialmente, de modo a agregar alguns de seus valores, aqueles que faz pelos próprios filhos, isso no meu caso, se mostra trágico, pois esse “DNA” já foi enraizado na pessoa, no qual, em muitos casos, já não é possível modificar. Tive dois relacionamentos com mulheres com filhos. Tive sucesso no primeiro casamento com relação ao meu enteado, ele mais se parece comigo em perspectivas para futuro do que meu próprio filho. No segundo casamento, são duas enteadas, no qual não consigo manter vínculo afetivo, embora uma delas seja mais tranquila a convivência, a mais nova, é trágico, não consigo nem mesmo diálogo sem acontecer um stress, tamanho abismo educacional. A minha conclusão, é que manter relação com quem já tem filhos, é desafio gigantesco e cabe a reflexão até que ponto vale a pena, até quem ponto isso não prejudica a nossa saúde mental.

      1. Nossa estou me sentindo exatamente assim,muito triste essa situação espero que Deus me der um direcionamento para que eu faça a escolha certa, amo muito meu marido mas ele está sendo egoísta comigo, só pensa nele sempre passa mão na cabeça do filho, se eu falar alguma coisa ele chama minha atenção na frente do filho tirando toda minha autoridade, parece que o filho dele gosta da situação já até debochou de min dizendo que era uma pena que eu não era a mãe dele, a gente tinha uma relação muita boa quando ele morava com a mãe, sempre me dei super bem com ela, que ela sempre reclamava sobre o filho e ele queria muito vim morar com o pai meu marido acabou trazendo ele só que ele ao me ajuda em nada tudo que faz reclama eu gosto das minhas coisas toda limpa hoje minha casa não para limpa tudo espalhado muita louça para lavar meu marido dizendo que tenho que fazer comida 3 vezes ao dia e cuidar da casa pq não faço nada sendo que sempre tô limpando a casa e eles sujando tudo sem ter um pingo de consciência muito triste com essa situação o menino já tem que 15 anos tento ensinar a fazer as coisas para ele só que ele diz que quer se porco fala várias besteiras e da risada, se conta que passa o dia no celular e andando em círculos com um fone de ouvido meu marido acha isso tudo normal come tudo que ver pela frente não pensa nas pessoas meu marido acha isso tudo normal, acho que pode ser assim, os amigos(a) do meu esposo fala tudo mal do filho dele pra min dizendo que não tem educação nenhuma eu fico muito sem graça sem saber oque falar meu esposo parece que está cego não ver oque o filho anda fazendo e falando fora que o menino fala várias besteiras sobre sexualidade com os amigos do pai se ao menos ninguém pergunta nos faz passar vergonha, a não dele que apesar da gente se falar não sabe de nada disso porque se eu conta pra ela meu marido vai ficar chateado e até se sentir traído porque falei, a avó mãe do meu esposo tá sempre passando a mão na cabeça dando corda ao neto sem ao menos pensar em min e no que eu faço fico muito chateada e a errada sempre sou eu…

        #umdesabafo

        1. Não sei se vc vai ver essa fala. Mas peli seu relato, muito provável que seu enteado tenha um grau leve de autismo. O certo era o pai procurar um neuropsicologo e fazer o teste no intuito de ajudar esse menino.

          1. Grau leve de Autismo!?
            Sério? Acredito que seja falta de limite. O pai precisa impor. Me embasando pelo relato dela, esse pai e não age com inércia aos mandos e desmandos do filho dele. E ela precisa colocar um ponto final. Se madrasta pode cozinhar, limpar, educar. Ela também pode corrigir e também métodos mais convincentes de autoridades. Assim, como mães fazem com seus filhos.
            Sou madrasta. Meus enteados não são perfeitos, porém me dão bença e abaixam a cabeça para mim. O meu filho me respeita, porq os filhos do meu marido não irão?!

          2. o meu enteado veio morar conosco, recentemente descobri que ele tem TDAH, e um grau de de autismo, não é fácil não pior que ela sabia dos problemas mas não me avisou, ele se recusa em fazer algum tipo de tratamento, tem 19 anos mas se comporta como um menino de 8 anos, desobediente, preguiçoso, só quer comer do bom e do melhor(seletividade alimentar) minha esposa tá desempregada, ele tenta trabalhar mas não para em emprego algum, só tem o ensino médio e não tem interesse em continuar os estudos, já bebe, liga o som no máximo, na hora do meu descanso, não é fácil 🥺

        2. Se saia dessa casamento senhora. Vai perder a sua vida por conta dos outros? Você é a sua saúde mental e fisica é propriedade. Se seu marido não sabe impor limites, não é você que vai. Você vai se desgastar emocionalmente. No meu caso meu enteado era mimado e hoje não é assim, eu mr impôs com a minha esposa, eu ia embora, ela começou a tomar jeito e colocar limites na criança, hoje ele sabe fazer tudo. E se não fazer eu sumo, por não vou ficar me acabando de trab enquanto meu enteado fica em casa o dia todo com o cel com idade que pode ajudar. Eu me amo e nunca vou perder o meu bem está, a monha felicidade por ninguém.

        3. Passo pela mesma situação meu enteado tem 10 anos vai fazer 11 agora em março ele desde 3 anos sempre deu trabalho e meu marido sempre passa não na cabeça, fala que é normal q ele vai crescer só q já se passaram 7 anos e o menino mesma coisa onde cai arruma inimizade por ser sem noção no que fala ou faz , ele só cresce o tamanhos e a idade pq a cabeça continua infantil fala como um bebê bagunça o quarto parece zona e se eu chamo atenção meu marido acha q e implicância tô quase desistindo só tô segurando um pouco mais pelo meu filho de 3 anos mais já n consigo suportar mais o comportamento dele mimado faz o q quer passa dia todo vídeo game ou celular dorme com TV ligada dorme hora q quer é ainda mente igual n sei o que e pai acredita sempre nele sabe já faleu pra levar no neuro fazer exame pode ser tdha com leve autismo sabe , mais ele n da a mínima fala q vai procura nunca procura acha tudo normal mais todo mundo percebe só ele q não

        4. Eu sei amiga como se sente estou com um enteado dentro da minha casa só que o meu já é um homem de 23 anos só estuda não trabalha tira minha privacidade pessoal e conjugal, o pai dele que é meu marido não faz nada o quarto l que ele está dormindo fede muito, tem dias que dá vontade de surtar pq não aguento tudo fora do lugar eu trabalho fora quando chego minhas panelas estão queimada louca lixeira transbordando de lixo banheiro fedendo a urina o quarto que ele dorme além de fedorento tod desarrumado já pedi ao meu marido pra ele ficar um pouco com a mãe dele meu marido acha que não tenho direito de pedir isso pq o filho dele pode escolher onde quer ficar … não sei se irei aguentar isso por muito tempo.

      2. Disse tudo, passo por uma situação dessa,tenho um enteado hoje com 17 anos,eu nao consigo nem ter diálogo justamente pelo abismo educacional. A mãe coloca ele como o coitadinho e eu o carrasco. Hoje tenho um filho de 8 anos com ela e nao me separo por causa dele,.mas a cada dia que passa eu vejo que minha saude mental está indo embora. Muito difícil e triste.

    2. Mesmo com peculiaridades entre o papel do padrasto ou madrasta, as dificuldades são imensas em agregar uma criança que é um “estranho” para um novo relacionamento. Mas na minha posição, o pior realmente é a essência desse pequeno ser, o “DNA” de comportamento, o rol educacional que por vezes se conflita com a sua perspepectiva de realidade. No qual, colocamos até mesmo em dúvida se a escolha pela mãe ou pelo pai dessa criança foi decisão correta. Outro ponto bem mais complexo é você doutrinar, mesmo que parcialmente, de modo a agregar alguns de seus valores, aqueles que faz pelos próprios filhos, isso no meu caso, se mostra trágico, pois esse “DNA” já foi enraizado na pessoa, no qual, em muitos casos, já não é possível modificar. Tive dois relacionamentos com mulheres com filhos. Tive sucesso no primeiro casamento com relação ao meu enteado, ele mais se parece comigo em perspectivas para futuro do que meu próprio filho. No segundo casamento, são duas enteadas, no qual não consigo manter vínculo afetivo, embora uma delas seja mais tranquila a convivência, a mais nova, é trágico, não consigo nem mesmo diálogo sem acontecer um stress, tamanho abismo educacional. A minha conclusão, é que manter relação com quem já tem filhos, é desafio gigantesco e cabe a reflexão até que ponto vale a pena, até quem ponto isso não prejudica a nossa saúde mental.

    3. Primeiro coloque Deus no casamento e comece a pedir a direção para ele é que a criança comece a ver quem é você é quem é a mãe dele tenho um entiado que veio a alguns messes mora com migo a mãe dele e meus dois filhos e não é fácil eu sei mas ñ deixe seu casamento acabar por causa da criança conversa com o pai dele pra te ajuda luta pra vcs ficarem juntos e pra criança melhorar comece a ignorar os desrespeito e fale mais com seu marido pra em vez de vc fala com a criança ele intervir

      1. Eu namoro já a 10 anos e meu namorado tem uma filha.ela veio morar com a jente com 10 anos de idade.porque não se dá com a mãe.hoje sou separada de casa ele mora com a filha e eu com 63 anos moro sozinha.pois ela conseguiu destruir meu relacionamento com ele.e o incrível que ela está feliz.

    4. Pois eu desisti colega de um casamento de 8 anos, so aguentei dois anos com o filho de 10. minha saúde,equilíbrio mental é mais importante.

  2. Gostei muito do que vc disse,
    Eu tenho 30 anos vou fazer 5 anos de casada, e tenho um enteado de 10 anos que mora com a Gente a 3 anos, e pra mim não está sendo fácil lidar com o desrespeito dele comigo, porque a mãe dele não gosta de mim, e como ele è muito apegado a mãe também não aceita morar com a Gente, a mãe não tem condições de criar e por esse motivo ela deu a guarda da criança ao meu esposo e só tem direito a visita a finais de semana. Ela não è muito afetiva com a criança, e eu pôr sinal não sou bem aceita por ele. Porque ele queria a mãe com o pai. È eu já não sei o que faço, porque ela já tentou me prejudicar judicialmente falando pra poder me afastar do pai. Já sentamos e conversamos várias vezes. È ele existe em dizer que não me aceita…..

    É um mal aluno, porque não faz lição
    Presciso de ajuda antes que eu acabe distruindo meu casamento por causa d3 uma criança de 10anios

  3. Oi Deise, boa noite!! Nossa, me identifiquei muito com o seu relato, pois estou passando pela mesma situação, convivo com a minha enteada ativamente desde que ela tinha 2 aninhos, eu sempre fui muito apegada a ela.
    Estou casada com o pai dela A 10 anos, e a 4 anos qdo ela tinha 9 anos, decidiu que queria vim morar com a gente, pq assim como seu enteada a minha tbm não recebia afeto da mãe, que na época havia ido embora morar com o namorado e havia deixado minha enteada com a avó. A muito tempo meu marido me pedia para trazer ela para morar com a gente, eu nunca aceitei pq na época era só eu e ele e achei que naquele momento seria muita responsabilidade para mim. Mas depois que me tornei mãe, fiquei pensando na situação da minha enteada, pois ela vivia dizendo que queria que a mãe fosse igual a mim, acabei junto ao meu marido trazendo ela pra morar com a gente, ela tinha 9 anos, e foi a pior coisa que eu fiz, a menina se transformou hj ela está com 12 anos, e não me respeita, me desafia o tempo todo, mente demais, qdo o pai está em casa Ela é de um jeito comigo mas qdo ele não está ela é totalmente diferente, e eu já conversei, já chorei, já tentei ser só amiga sem muitas cobranças, mas nada do que eu faça faz com o que melhore nosso convívio dentro de casa, de uns 2 anos pra cá ela vem dizendo que quer ir embora, mas a mãe não a quer de volta, meu marido tbm não quer deixar ela voltar até ela melhorar essa malcriação e eu fico perdida sem saber o que fazer, hj estou grávida outra vez, e a situação no meu lar só piora, pq ela apronta demais, faz pirraça, faz coisas de propósito pq sabe que vai me atingir, quer medir forças comigo o tempo todo, meu alívio é quando chega fim de semana e a mãe dela Vem busca- lá.

    1. Se vc quiserem fazer um grupo, pois estou esgotada psicologicamente e muito triste cada dia que passa. Só colocá o telefone e vou add vcs.
      Prescisamos de ajuda profissional
      Para estabelecer nosso entendimento para conseguimos lidar com isso.

    2. Se vc quiserem fazer um grupo, pois estou esgotada psicologicamente e muito triste cada dia que passa. Só colocá o telefone e vou add vcs.
      Prescisamos de ajuda profissional
      Para estabelecer nosso entendimento para conseguimos lidar com isso.

    3. Nossa sua história e muito parecida com a minha só que no meu caso ainda não estou casada com meu marido vou so no final de semana pra casa dele so que ele faz questão de pega a filha dele e ela faz minha vida um inferno e o pai dela fala que ela e criança só que ela ja tem 12 anos ela mim pirraça muito eu nao sei se vou mim casa mas com ele tenho muito medo do que vem porair

  4. Oi Deise, boa noite!! Nossa, me identifiquei muito com o seu relato, pois estou passando pela mesma situação, convivo com a minha enteada ativamente desde que ela tinha 2 aninhos, eu sempre fui muito apegada a ela.
    Estou casada com o pai dela A 10 anos, e a 4 anos qdo ela tinha 9 anos, decidiu que queria vim morar com a gente, pq assim como seu enteada a minha tbm não recebia afeto da mãe, que na época havia ido embora morar com o namorado e havia deixado minha enteada com a avó. A muito tempo meu marido me pedia para trazer ela para morar com a gente, eu nunca aceitei pq na época era só eu e ele e achei que naquele momento seria muita responsabilidade para mim. Mas depois que me tornei mãe, fiquei pensando na situação da minha enteada, pois ela vivia dizendo que queria que a mãe fosse igual a mim, acabei junto ao meu marido trazendo ela pra morar com a gente, ela tinha 9 anos, e foi a pior coisa que eu fiz, a menina se transformou hj ela está com 12 anos, e não me respeita, me desafia o tempo todo, mente demais, qdo o pai está em casa Ela é de um jeito comigo mas qdo ele não está ela é totalmente diferente, e eu já conversei, já chorei, já tentei ser só amiga sem muitas cobranças, mas nada do que eu faça faz com o que melhore nosso convívio dentro de casa, de uns 2 anos pra cá ela vem dizendo que quer ir embora, mas a mãe não a quer de volta, meu marido tbm não quer deixar ela voltar até ela melhorar essa malcriação e eu fico perdida sem saber o que fazer, hj estou grávida outra vez, e a situação no meu lar só piora, pq ela apronta demais, faz pirraça, faz coisas de propósito pq sabe que vai me atingir, quer medir forças comigo o tempo todo, meu alívio é quando chega fim de semana e a mãe dela Vem busca- lá.

    1. Nossa sua história e muito parecida com a minha só que no meu caso ainda não estou casada com meu marido vou so no final de semana pra casa dele so que ele faz questão de pega a filha dele e ela faz minha vida um inferno e o pai dela fala que ela e criança só que ela ja tem 12 anos ela mim pirraça muito eu nao sei se vou mim casa mas com ele tenho muito medo do que vem porair

  5. Olá, também passo pelo mesmo problema, estou casada a 3 anos, este anos meu marido pegou a guarda dos filhos dois meninos de 13 e 11 anos, estão na minha casa desde março, mas não aguento mais, trabalho o dia todo, e tenho uma bebe de 1 ano e 2 meses, vivo cansada, os menino só brigam e fazem bagunça, perdi minha paz, e meu casamento está caminhando para o fim. A cada semana é uma briga diferente por causa dos meninos, semana passada fui até dormir num hotel, meu marido já me mandou embora (depois se arrepende e pede pra eu ficar), disse que não aguenta mais …. e eu … eu tb não aguento mais, só não fui embora ainda por causa de minha bebê, não queria que crescesse longe do pai. Estou arrasada, as x penso que vale a pena esperar, mais uns 8 anos, quando eles atingirem maioridade vão ter que caçar seu rumo… mas sinceramente tenho medo, de meu marido não aceitar mandá-los embora e eu ter que viver com marmanjo dentro de minha casa … estou arrasada, sem saber o que fazer.

    1. Olá vera! Não aposte na maioridade deles para se ver livre do problema. Talvez piore como é o meu caso. Minha entedada tem 23 anos e mora comigo . Não trabalha, não estuda, não faz absolutamente nada em casa. A não ser fazer inferno entre eu e meu marido. E o pai até hoje fica do lado dela passando a mão na cabeça e defendendo todas as coisas que ela faz de errado. E detalhe, tenho uma filha de 1 ano e 5 meses com ele e nem assim ele fica do nosso lado. Tem coisas que infelizmente não melhora, só faz piorar.

      1. Situação desesperadora!! Minha história é muito parecida com a da Janaina…
        Meu marido é uma excelente pessoa, homem de Deus, bom pai, enfim, nos damos muitos bem! Estamos juntos a 4 anos, e a 3 anos ele trouxe a filha dele para morar conosco… Eu tenho um filho da mesma idade que a dele, porém uma pessoa totalmente diferente… permiti que a filha dele viesse morar com a gente, pq assim como a situação de muitas aqui, ela não se dava bem com a mãe… viviam em conflito e como meu filho morava comigo, achei injusto proibir a filha de vir morar com a gente! Desde então o inferno paira dentro da minha casa… falta de respeito, provocações, folgas, pisa e humilha meu filho, se faz de santa para o pai e nas suas costas apronta todas… até cigarro já encontrei nas suas coisas… e o pai, ao invés de corrigir com firmeza, passa a mão na cabeça com medo que se faça alguma coisa, pois chantageia ele emocionalmente. Enfim… desesperada… quase colocando meu casamento no lixo por causa dessa maldita!! Não sei mais o que faço!!

        1. Lorena, talvez valha a consulta com um psicólogo para entender os motivos que ela tem para esse comportamento. Assim você não desiste da sua relação. Entre em contato conosco! Podemos ter uma sessão online!

        2. Lorena, talvez valha a consulta com um psicólogo para entender os motivos que ela tem para esse comportamento. Assim você não desiste da sua relação. Entre em contato conosco! Podemos ter uma sessão online!

      2. Situação desesperadora!! Minha história é muito parecida com a da Janaina…
        Meu marido é uma excelente pessoa, homem de Deus, bom pai, enfim, nos damos muitos bem! Estamos juntos a 4 anos, e a 3 anos ele trouxe a filha dele para morar conosco… Eu tenho um filho da mesma idade que a dele, porém uma pessoa totalmente diferente… permiti que a filha dele viesse morar com a gente, pq assim como a situação de muitas aqui, ela não se dava bem com a mãe… viviam em conflito e como meu filho morava comigo, achei injusto proibir a filha de vir morar com a gente! Desde então o inferno paira dentro da minha casa… falta de respeito, provocações, folgas, pisa e humilha meu filho, se faz de santa para o pai e nas suas costas apronta todas… até cigarro já encontrei nas suas coisas… e o pai, ao invés de corrigir com firmeza, passa a mão na cabeça com medo que se faça alguma coisa, pois chantageia ele emocionalmente. Enfim… desesperada… quase colocando meu casamento no lixo por causa dessa maldita!! Não sei mais o que faço!!

    2. Olá, Vera!
      Sua história é a que mais se parece com a minha. Só não tenho um bebe. Eles, os meninos, vieram com 10 e 12, às vésperas de completarem 11 e 13.
      A casa é minha, está em frangalhos, assim como meu espírito. É duro você falar do filho dos outros. Mesmo não tendo filhos, sei que dói.
      Vieram sem meu consentimento morar na minha casa. Não conseguir se quer dar educação sem que meu marido me tirasse a autoridade alegando que a mãe já os havia maltratado de mais. Se eu ensinava a ter hábito pra estudar, dizia que os estava matando. Se pedia pra lavar a louça que usou, estava eu de novo querendo matá-los. Hoje estão com 16 e 18 e não tem perspectivas além das telas de seus smartphones.
      Sei que as histórias nunca são iguais, mais infelizmente, o de 18 anos… nem sombra de que vai arrumar uma profissão e nem sombra de que voltará pra casa da mãe, onde é a casa deles de fato.
      Eu sempre digo que não vou mais falar sobre o assunto, até que vem a TPM e tudo que ficou retido sai numa conversa, hoje sem as brigas horríveis que tínhamos, mas acabamos conversando.
      O que acho mais absurdo de tudo: quando temos pais incompatíveis, crescemos, trabalhamos e saímos de casa; quando temos filhos incompatíveis, alguns mandam seguir o rumo ou quem tem condições compra uma nova casa e gentilmente deixa o lar atual para os filhos, alegando “herança” em vida. E neste caso, enteados que não convivem bem com a madrasta? O que faz? Eu sinto que estou morrendo a cada dia, como se eu recebesse uma pequena dose de veneno, sinto meu espírito se desprendendo do corpo.
      Saio mais tarde de casa para o trabalho pra aproveitar que foram para o colégio, e fico no trabalho até tarde pra não conviver com eles. E nas férias de dezembro, janeiro e julho são um verdadeiro inferno na minha vida.
      Não tenho privacidade, perdi a graça em arrumar a minha casa que comprei e montei com tanto sacrifício. Entendam, não estou sendo materialista, pessoas certamente têm mais valor do que coisas, mas é duro você assumir que suas coisas estão quebrando uma a uma, estão sujas e nojentas de dedos que não se lavam.
      Eu deixaria minha casa para eles e moraria em outro lugar se tivesse condições financeiras, juro.
      É simplesmente algo que não tem solução. Nem o tempo.

  6. Olá, também passo pelo mesmo problema, estou casada a 3 anos, este anos meu marido pegou a guarda dos filhos dois meninos de 13 e 11 anos, estão na minha casa desde março, mas não aguento mais, trabalho o dia todo, e tenho uma bebe de 1 ano e 2 meses, vivo cansada, os menino só brigam e fazem bagunça, perdi minha paz, e meu casamento está caminhando para o fim. A cada semana é uma briga diferente por causa dos meninos, semana passada fui até dormir num hotel, meu marido já me mandou embora (depois se arrepende e pede pra eu ficar), disse que não aguenta mais …. e eu … eu tb não aguento mais, só não fui embora ainda por causa de minha bebê, não queria que crescesse longe do pai. Estou arrasada, as x penso que vale a pena esperar, mais uns 8 anos, quando eles atingirem maioridade vão ter que caçar seu rumo… mas sinceramente tenho medo, de meu marido não aceitar mandá-los embora e eu ter que viver com marmanjo dentro de minha casa … estou arrasada, sem saber o que fazer.

    1. Olá vera! Não aposte na maioridade deles para se ver livre do problema. Talvez piore como é o meu caso. Minha entedada tem 23 anos e mora comigo . Não trabalha, não estuda, não faz absolutamente nada em casa. A não ser fazer inferno entre eu e meu marido. E o pai até hoje fica do lado dela passando a mão na cabeça e defendendo todas as coisas que ela faz de errado. E detalhe, tenho uma filha de 1 ano e 5 meses com ele e nem assim ele fica do nosso lado. Tem coisas que infelizmente não melhora, só faz piorar.

      1. Patrícia, acabei de responder à Vera justamente isso. Não conte com a maioridade. A maioria dos jovens de hoje estão numa inércia espiritual impersonate. Nada acontece no mundinho deles.

        1. Nossa e eu que é uma criança de 3 anos filha do meu marido no começo eu gostava dela fazia de tudo pq ela estava morando com a gente eu buscava e levava oq meu marido trabalha de meio dia até 00:30 eu que dava banho lavava as calcinha cagada mas fui percebendo que a menina e insuportável chata chorona nem parece que tem 3 anos mente que os outros bateram nela todo mundo que cuida dela reclama todas as babás na creche até a própria mãe dela reclama menina chora por tudo uma criança pega um brinquedo ela chora até darem aquele brinquedo pra ela se joga no chão e diz que caiu sai chorando a gente manda fazer algo diz não na cara da gente olha de cara feia pra gente ela é muito esperta parece que tem uns 5 anos pra mais é muito tinhosa tem um gênio muito forte acho que puxou a mãe dela pq dizem que é muito braba com o tempo todo fui pegando um ranço dessa criança que não posso nem ouvir a voz eu trabalho estudo e ainda tinha que cuidar de uma criança que nem minha era aí a mãe dela não faz nada fica numa boa aí agora ela foi morar com a mãe vem só em um final de semana sim outro não graças a Deus pq na minha casa não quero só faz sujeira deixa tudo desorganizado anda de chinelo lá fora e quer subir na minha cama de chinelo meu sofá tá todo sujo dela derrubar as coisas se pendura nas cortina cai tudo deixa minhas cortina preta de sujeira odeio ela infelizmente ela olha pra mim fica fazendo cara de deboche e toda hora atrás do pai dela o pai o pai o pai ela sabe ir no banheiro sozinha quando está só nós ela vai de boa aí quando o pai dela ta ela faz ele ir levar ela sendo que ela sabe, uma banana ela faz o pai dela descascar e dar na boca e ela sabe muito bem pegar uma banana e descascar e comer quer viver pendurada no pai dela mds que Deus me perdoe mas não suporto essa menina

  7. Boa noite. Estou passando por um momento difícil também. Meu marido quer trazer a filha de 4 anos para morar com a gente. Mas acho q não seja o certo. Disse pra ele q não daria certo. Mas ele quer por que quer. E disse q vai trazer. A minha esperança é que a mãe não de a guarda pra ele. Pois sei q a situação vai ficar ruim se isso acontecer. A menina é mimada. Birrenta e não sabe receber não como resposta. Daí faz birra bate as portas, morde briga grita e uma tortura. Como convencer meu marido de q isso vai prejudicar nossa relação?

  8. Boa noite. Estou passando por um momento difícil também. Meu marido quer trazer a filha de 4 anos para morar com a gente. Mas acho q não seja o certo. Disse pra ele q não daria certo. Mas ele quer por que quer. E disse q vai trazer. A minha esperança é que a mãe não de a guarda pra ele. Pois sei q a situação vai ficar ruim se isso acontecer. A menina é mimada. Birrenta e não sabe receber não como resposta. Daí faz birra bate as portas, morde briga grita e uma tortura. Como convencer meu marido de q isso vai prejudicar nossa relação?

  9. Também estou passando por esta situação.Estou casada a 11 anos e nunca tive paz por conta das atitudes manipuladoras do meu enteado e da família do meu esposo..Ele agora está com 17 anos a mãe não quer ficar com ele de jeito nenhum pq ele não respeita ela e está fazendo coisas graves como roubo, abuso virtual a meninas, mentiras e outras coisas..Estos vivendo um pesadelo…nunca tivemos paz em nossa relação, e não foi por falta de apoio sempre fizemos tudo com o menino ,passeios feriados, pensão a presença do pai e da família do pai..e msm assim ele sempre manipulando todos e tudo..ele tem perfil de psicopata..eu morri de mede dele..Enfim não sei o que fazer

    1. Oi Vera! Do fundo do meu coração Vera para você ainda há tempo, se já esta dando trabalho já é um grande sinal que as coisas podem piorar , com DEUS PODEMOS TUDO , mas tem pessoas que colocamos em nossa vida e com convicção e vastos testemunhos citados aqui que se insistir já sabemos o resultado . Tome sua decisão com orientação divina.

  10. Também estou passando por esta situação.Estou casada a 11 anos e nunca tive paz por conta das atitudes manipuladoras do meu enteado e da família do meu esposo..Ele agora está com 17 anos a mãe não quer ficar com ele de jeito nenhum pq ele não respeita ela e está fazendo coisas graves como roubo, abuso virtual a meninas, mentiras e outras coisas..Estos vivendo um pesadelo…nunca tivemos paz em nossa relação, e não foi por falta de apoio sempre fizemos tudo com o menino ,passeios feriados, pensão a presença do pai e da família do pai..e msm assim ele sempre manipulando todos e tudo..ele tem perfil de psicopata..eu morri de mede dele..Enfim não sei o que fazer

  11. …Estou caminhando para talvez a pior fase de minha vida estou com uma pessoa a cerca de 2 anos e o filho dessa pessoa está por vir morar conosco devido o próprio pai expulsar o garoto de casa…temo que já era meu relacionamento pois o garoto não tem controle….se o pai já não aguentou não será eu que devo aguentar…

  12. …Estou caminhando para talvez a pior fase de minha vida estou com uma pessoa a cerca de 2 anos e o filho dessa pessoa está por vir morar conosco devido o próprio pai expulsar o garoto de casa…temo que já era meu relacionamento pois o garoto não tem controle….se o pai já não aguentou não será eu que devo aguentar…

  13. Sou casada a 16 anos e também tenho enteados, que na época estavam com 3,7 e 11 anos de idade, todos meninos e de mães diferentes.
    Passei por bons pedaços para equilibrar meu relacionamento, pois são grandes os desafios.
    Só que nunca me deixei levar por essas influências sociais impostas em nós madrastas. E desde o início do namoro com meu marido sempre deixei claro que daria suporte para que ele fosse um pai presente. E nunca, nunca mesmo dei se quer ao entender que os assumiria, a não ser que estivessem passando por maus tratos da mãe ou no caso de falecimento das mesmas.
    O interessante é que pais que se separam seja por qual motivo for, são frustradissimos porque não sabem lidar com maturidade com os conflitos que envolvem a criação de seus filhos e aí começa a palhaçada…..brigas idiotas, disputas desnecessárias sem contar o bate boca e a alienação parental que de uma certa forma também recai na madrasta ou padrasto (não tem dinheiro pq ele já gastou tudo com ela) e por aí vai!
    Meu marido assim como muitos outros pais achava que eu tinha a obrigação de não só ajuda-lo com as crianças, mais de assumi-los com ele. E assim aguentar o desse e viesse dessa situação. E sinto muito se vou soar egoísta para vocês também …..pq foi assim que me viram durante anos. Como uma grande egoísta!!!
    Não tenho nas mãos o poder de consertar o que não fui eu que quebrei.!!! Simples assim.
    Não preciso e nem serei o bode expiatório de quem quer que seja.
    Não, eu não sou obrigada!
    Não, eu não quero fazer parte de um circo.
    E não, eu não nasci pra isso.
    O ser humano precisa aprender a resolver suas questões internas e para isso não precisa enlouquecer quem está ao seu lado.
    E sobre a questão de virem morar conosco …..sim tentaram de todas as formas . Mais me mantive firme em não aceitar. Pq o conflito entre eles precisaria estar resolvido para dar certo a convivencia e não era o caso. Então minha casa é um lar e não tenho interesse algum de torna-lo um inferno.
    Força a todas as madrastas
    Imponham-se.

    1. Foi libertador ouvir o seu relato, Querida Simone.
      Eu não tive a mesma sorte. Me impus, falei as mesmas coisas que você e vieram. Invadiram a minha casa, minha privacidade e está tudo destruído.

  14. Sou casada a 16 anos e também tenho enteados, que na época estavam com 3,7 e 11 anos de idade, todos meninos e de mães diferentes.
    Passei por bons pedaços para equilibrar meu relacionamento, pois são grandes os desafios.
    Só que nunca me deixei levar por essas influências sociais impostas em nós madrastas. E desde o início do namoro com meu marido sempre deixei claro que daria suporte para que ele fosse um pai presente. E nunca, nunca mesmo dei se quer ao entender que os assumiria, a não ser que estivessem passando por maus tratos da mãe ou no caso de falecimento das mesmas.
    O interessante é que pais que se separam seja por qual motivo for, são frustradissimos porque não sabem lidar com maturidade com os conflitos que envolvem a criação de seus filhos e aí começa a palhaçada…..brigas idiotas, disputas desnecessárias sem contar o bate boca e a alienação parental que de uma certa forma também recai na madrasta ou padrasto (não tem dinheiro pq ele já gastou tudo com ela) e por aí vai!
    Meu marido assim como muitos outros pais achava que eu tinha a obrigação de não só ajuda-lo com as crianças, mais de assumi-los com ele. E assim aguentar o desse e viesse dessa situação. E sinto muito se vou soar egoísta para vocês também …..pq foi assim que me viram durante anos. Como uma grande egoísta!!!
    Não tenho nas mãos o poder de consertar o que não fui eu que quebrei.!!! Simples assim.
    Não preciso e nem serei o bode expiatório de quem quer que seja.
    Não, eu não sou obrigada!
    Não, eu não quero fazer parte de um circo.
    E não, eu não nasci pra isso.
    O ser humano precisa aprender a resolver suas questões internas e para isso não precisa enlouquecer quem está ao seu lado.
    E sobre a questão de virem morar conosco …..sim tentaram de todas as formas . Mais me mantive firme em não aceitar. Pq o conflito entre eles precisaria estar resolvido para dar certo a convivencia e não era o caso. Então minha casa é um lar e não tenho interesse algum de torna-lo um inferno.
    Força a todas as madrastas
    Imponham-se.

  15. Vivo situação parecida, pois vai fazer 3 anos que estou casada e meu enteado de 10 anos mora com a gente, pois a mãe dele deu a guarda para o meu marido assim q me casei e ela foi embora com o namorado dela, o menino veio morar com a gente qdo tinha 8 anos, porém antes eu até me dava bem com ele, mais sempre chamando atenção dele por algo que nao concordo, mais ele só me obedece qdo o pai dle esta perto e hj eu estou gravida de 4 meses, e acho q peguei birra do meu enteado por ele nunca me ajudar em nada e não me obedecer, e fora que ando passando mto nervoso com ele ,por algumas coisas q ele faz e q nao concordo e a responsabilidade fica em cima de mim, pq ele fica a maior parte cmg, e a mae dele apenas conversa com o filho por mensagens , ai ela resolveu voltar por algum motivo q nao me importa, e o menino quer voltar a morar com ela e eu sinceramente acho melhor q ele more com ela msm, mais o meu marido disse q nao vai devolver a guarda pra ela e q só qdo meu enteado ficar maior de idade e qrer morar com ela. Mais confesso q estou de saco cheio, pq tudo q falo para o meu enteado nao importa entra por um ouvido e sai pelo outro.
    Nao sei oq fazer…

  16. Vivo situação parecida, pois vai fazer 3 anos que estou casada e meu enteado de 10 anos mora com a gente, pois a mãe dele deu a guarda para o meu marido assim q me casei e ela foi embora com o namorado dela, o menino veio morar com a gente qdo tinha 8 anos, porém antes eu até me dava bem com ele, mais sempre chamando atenção dele por algo que nao concordo, mais ele só me obedece qdo o pai dle esta perto e hj eu estou gravida de 4 meses, e acho q peguei birra do meu enteado por ele nunca me ajudar em nada e não me obedecer, e fora que ando passando mto nervoso com ele ,por algumas coisas q ele faz e q nao concordo e a responsabilidade fica em cima de mim, pq ele fica a maior parte cmg, e a mae dele apenas conversa com o filho por mensagens , ai ela resolveu voltar por algum motivo q nao me importa, e o menino quer voltar a morar com ela e eu sinceramente acho melhor q ele more com ela msm, mais o meu marido disse q nao vai devolver a guarda pra ela e q só qdo meu enteado ficar maior de idade e qrer morar com ela. Mais confesso q estou de saco cheio, pq tudo q falo para o meu enteado nao importa entra por um ouvido e sai pelo outro.
    Nao sei oq fazer…

  17. Estou com meu esposo a 11 anos, minha enteada quando começamos nosso relacionamento tinha 3.5 anos, hoje com 14 anos. Mora em uma cidade próxima a nossa e como a estrutura não é muito legal irá vir morar conosco esse ano. Sempre combinamos muito inclusive ela me chama de “Mãe”, porém nas duas últimas férias notei uma mudança muito drástica nela, resposta na ponta da língua pra tudo, na maioria das vezes bem mau educada, temos um filho de 3 anos e 9 meses, educo ele como fui educada, porém ela não aceita que eu a corrija, o pai não me dá muita força, na maioria das vezes diz que vai conversar e acaba no esquecimento. Enfim a mãe não ensinou praticamente nada, ela não arruma sequer a cama, lava sequer o prato que come. Sempre que preciso de ajuda com algo, tenho que ficar pedindo e não foi assim que fui educada. Extremamente desmanzelada com higiene em todos os aspectos. Resumindo quando era menor sempre pedia para meu esposo trazê-la pra junto de nós, por trabalharmos os dois e ela sempre mora de favor na casa do outros com a mãe. Nunca quis vir, como é férias ainda dou um desconto e deixo a cobrança de lado, porém agora será um pouco mais complicado, meu esposo diz que o nosso casamento em primeiro lugar, mas não sei como será na prática. Se alguém tiver alguma orientação pra me passar agradeço.

  18. Estou com meu esposo a 11 anos, minha enteada quando começamos nosso relacionamento tinha 3.5 anos, hoje com 14 anos. Mora em uma cidade próxima a nossa e como a estrutura não é muito legal irá vir morar conosco esse ano. Sempre combinamos muito inclusive ela me chama de “Mãe”, porém nas duas últimas férias notei uma mudança muito drástica nela, resposta na ponta da língua pra tudo, na maioria das vezes bem mau educada, temos um filho de 3 anos e 9 meses, educo ele como fui educada, porém ela não aceita que eu a corrija, o pai não me dá muita força, na maioria das vezes diz que vai conversar e acaba no esquecimento. Enfim a mãe não ensinou praticamente nada, ela não arruma sequer a cama, lava sequer o prato que come. Sempre que preciso de ajuda com algo, tenho que ficar pedindo e não foi assim que fui educada. Extremamente desmanzelada com higiene em todos os aspectos. Resumindo quando era menor sempre pedia para meu esposo trazê-la pra junto de nós, por trabalharmos os dois e ela sempre mora de favor na casa do outros com a mãe. Nunca quis vir, como é férias ainda dou um desconto e deixo a cobrança de lado, porém agora será um pouco mais complicado, meu esposo diz que o nosso casamento em primeiro lugar, mas não sei como será na prática. Se alguém tiver alguma orientação pra me passar agradeço.

  19. Nossa minha amiga a situação tá de mal a pior, e ainda estou passando por muita dificuldade e afetando meu relacionamento, cada dia mais estou mais triste.

  20. Nossa minha amiga a situação tá de mal a pior, e ainda estou passando por muita dificuldade e afetando meu relacionamento, cada dia mais estou mais triste.

  21. Olha eu aqui de novo, sinto que já não consigo lidar com essa situação, que as vezes sempre saio como a chata e a que reclama de tudo, eu não aconselho ninguém morar com um filho do marido, acho que filho deve fica com a mãe ela sendo a pior que seja, meu enteado vive me provocando e as vezes quando meu marido não está è pior. Sinceramente não sou mãe e não quero ser madrasta por mais que amo o homem que escolhi está ao meu lado, mais foi um erro aceita toda essa situação, pois sou Feliz com meu esposo mais infeliz com meu enteado participando da minha família. A realidade gente se torna totalmente diferente quando a gente enfatiza uma outra situação, gostaria que fosse diferente . Mais não dá 🙁 farei o que for preciso pra sai desta situação.

    1. D, não vejo ninguém dizer que tem uma boa convivência com afilhados que vieram morar junto. É um choque cultural grande, os pais (homens) geralmente passam a mão na cabeça, tudo os filhos eles estão certos.
      Um verdadeiro inferno.

  22. Olha eu aqui de novo, sinto que já não consigo lidar com essa situação, que as vezes sempre saio como a chata e a que reclama de tudo, eu não aconselho ninguém morar com um filho do marido, acho que filho deve fica com a mãe ela sendo a pior que seja, meu enteado vive me provocando e as vezes quando meu marido não está è pior. Sinceramente não sou mãe e não quero ser madrasta por mais que amo o homem que escolhi está ao meu lado, mais foi um erro aceita toda essa situação, pois sou Feliz com meu esposo mais infeliz com meu enteado participando da minha família. A realidade gente se torna totalmente diferente quando a gente enfatiza uma outra situação, gostaria que fosse diferente . Mais não dá 🙁 farei o que for preciso pra sai desta situação.

  23. Se alguém hoje me perguntasse sobre se relacionar com homens que tenha filhos, eu diria, fique sozinha ou procure alguém que não tenha filhos.
    Sou casada há 3 anos e o filho do meu marido veio morar conosco quando não tínhamos nem 2 anos de casados. Ele com 20 anos. Foi um inferno em nossas vidas. Ele fazia de tudo para me provocar. Eu sempre fui muito organizada, minha casa era impecável. Ele veio, parecia criança, aliás, era tratado como criança pelo pai. Totalmente desorganizado, bagunceiro e sem respeito nenhum a minha pessoa.
    Meu marido ao se separar da mãe, deixou um excelente apto com piscina e tudo mais, quitado, para eles morarem.
    Eu já percebia algumas coisas quando o filho vinha passar os finais de semana em casa e conversava com meu meu marido a respeito, mas ele sempre ia contra, porque dizia que o filho vinha apenas aos finais de semana e que eu que implicava…
    Voltando ao assunto: O filho dele mentia, sutilmente desarrumava as coisas, deixava todas as portas dos armários abertas, nenhum tapete ficava no lugar. O tapete da sala que era bem peludo ficava cheio de unhas que ele cortava. E eu me matava para limpar. Comeram as brigas e meu marido não tomava atitude. Foi quando eu pedi para que ele conversasse com o filho para que pelo menos 1 vez por mês ele disse fosse ficar com a mãe um final de semana e meu marido dizia que não iria expulsar ele de casa. Veja bem, pedi que o filho nos desse o direito de ter um final de semana de privacidade e meu marido não tinha coragem de falar com o filho de 20 anos.
    Em uma dessas brigas, eu decidi ir embora.
    Eu e meu marido continuamos a namorar, motéis aos finais de semana e quando estava para completar 1 ano nessa situação, conversamos e decidimos morar juntos novamente, voltei para o apto.
    Hoje a situação é assim, o filho vai completar daqui um mês 22 anos e cada dia pior… Se eu coloco algo em algum lugar, ele tira e coloca em outro, os tapetes ficam todos bagunçados e não é pq a pessoa passou e sem querer sai, é bagunçado mesmo. O ar condicionado que fica na sala, ele tira e coloca em outro. Há migalhas de pão em todos os lugares. Se eu coloco a garrafa de água em um local na geladeira, ele tira e coloca em outro, assim acontece com potes de palmito, azeitonas e etc…
    Não tem a mínima educação, se estou conversando com meu marido ele interrompe e fica pai…pai..pai, até meu marido responder…
    Além de tudo isso a falta de higiene. Cueca borrada de côco, isso mesmo. Não lavo mais a roupa dele…morro de nojo.
    Esses dias ele pegou a esponja que deixo na área, que uso para lavar os banheiros, ele usou para lavar louça que havia sujado. Ah! Ele só lava a louça dele que suja, pq meu marido disse a ele que se não fizer, não irá emprestar o carro, a partir daí, começou a lavar.
    Qto a higiene, esses dias fiz linguiça com molho, ele chegou da faculdade e pegou com mão suja…nem comi, de tanto nojo.
    Outro dia, sentados na mesa para jantar, ele comia o frango a passarinho e colocava os ossos na mesma tijela que estavam os frangos que íamos comer, assim como, misturar o suco com o mesmo copo que estava bebendo.
    Fora que pegou um desses potinhos de plásticos que colocamos alimentos, colocou água e bicarbonato e molhava a escova para lavar o tênis. Total falta de higiene…isso e pouco, a cada dia algo diferente…
    Como eu não queria cometer o erro de chamar a atenção do rapaz, falava com meu marido…adivinha, meu marido sempre achando tudo normal e pior, dizendo que eu deveria fechar os olhos para as coisas que ele fazia. Até que eu disse que ia embora…então meu marido chamou nós 2 para conversar, no início da conversa deu logo para perceber que os dois já sabiam sobre o assunto.
    Meu marido falou sobre algumas coisas e sobre o fato dele nos dar de vez em quando privacidade, mas TB deixou claro que não era uma regra. Só que meu marido disse a ele que 1 vez por mês nós iríamos ficar fora para dar privacidade ao filho para que ele trouxesse quem ele quisesse em casa.. O filho disse que estava sem tempo para ir para a casa da mãe dele pq esta fazendo o TCC, mentira pura, ele só vai a faculdade as segunda e olhe la…de terça a sexta ele chega às 17 HR, dorme até a hora que meu marido chega e fica assistindo televisão até meia noite. Sábado e domingo fica o dia inteiro assistindo televisão e sequer pega computado para mexer em TCC. Eu não acreditei naquilo que estava ouvindo… E meu marido acredita em todas as falácias dele ou finge que acredita.
    Não demorou 2 horas depois da conversa, meu marido veio meio que sem jeito me chamando para sairmos, eu não entendi pq sempre nos programamos para sair, como ele percebeu a minha cara de espanto, ele contou que uma menina viria casa…
    Tive que me arrumar, fomos ao cinema, enfim, ao chegarmos em casa, os dois estavam deitados no sofá e a menina dormiu em casa…
    Brigamos novamente, pois achei uma bairro, uma menina que até então não conhecíamos vir em casa, deitar no sofá como se tivesse total intimidade e dormiu em casa… Fui taxada de antiquada e o diabo a quatro.

    Tudo que o filho faz, seja lá o que for, meu marido já vem com mil desculpas e se justifica pelo filho, inclusive já peguei várias mentiras do meu marido para defender o filho.
    Quero ressaltar que a forma como as coisas são conduzidas aqui dentro é que sou empregada, que estou morando de favor, e que manda é o filho. As regras são impostas para mim…
    O rapaz chega do trabalho, suado, com a meia que e imunda (imunda mesmo) deita no sofá e dorme todos os dias. Eu assisto televisão na sala porque fica próximo a cozinha ( onde sempre tenho algo para fazer), portanto não posso assistir televisão pq ele toma posse…
    Se eu e meu marido estamos na sala e o filho chega, imediatamente, meu marido me chama para o quarto para assistirmos televisão, pq eu sei que ele quer fazer a vontade do filho ( isso pq o filho tem televisão no quarto).
    E quanto a mãe? A mãe se faz de coitada e sonsa, casou de novo, não paga nada, não ajuda em nada e nem conversei o filho de ficar com ela um final de semana. Mas segundo me falaram, ela foi morar longe pq queria se livrar do filho( único) pq ele não a respeitava, xingava e gritava com ela…
    Agora estou eu aqui…não sou madrasta, não sou nada dessa pessoa que não tem o menor respeito por mim. Na verdade existe mais mal-enteados do que madrasta.
    Eu tenho orado muito e pedido a Deus a me ajudar a tomar uma decisão.
    Ando quieta, não abro mais minha boca para falar nada para não ter brigas e ainda tenho que ouvir os questionamentos do meu marido me perguntando o que eu tenho.
    É impossível a pessoa ser tão cega e não conseguir olhar o que acontece a volta. Meu marido é um egoísta, nunca deu autoridade para a mãe do rapaz quando eram casados e o mesmo ocorre comigo…
    Não estou suportando mais isso.
    O sentimento está indo embora e nada mais faz sentido ou importa…

    1. Claudinea… só Jesus!
      Achei que a história da Vera, mais acima, fosse a mais próxima da minha. Que surpresa ler o seu relato e me deparar com a minha própria história. A diferença? São dois rapazes e a casa é minha. Vieram, invadiram, tomaram tudo. No início ainda me chamavam às escondidas de “general”. Pisotearam debocharam e hoje estou em desgraça, morrendo a cada dia. A casa que montei com tanto sacrifício, que tinha cada coisa em seu lugar, hoje é um grande lixão, tudo imundo e sem vida. Não tenho mais vontade de viver. Parece que cada dia recebo uma pequena dose de veneno. Salomão afirmou que “Tudo passa” e é apenas nisso que me agarro, porque é o tempo de Deus. Já expulsei a todos tantas vezes que me perdi nas expulsões e para o ano que vem expulsarei a mim mesma pra tentar salvar o que restou de mim.

  24. Se alguém hoje me perguntasse sobre se relacionar com homens que tenha filhos, eu diria, fique sozinha ou procure alguém que não tenha filhos.
    Sou casada há 3 anos e o filho do meu marido veio morar conosco quando não tínhamos nem 2 anos de casados. Ele com 20 anos. Foi um inferno em nossas vidas. Ele fazia de tudo para me provocar. Eu sempre fui muito organizada, minha casa era impecável. Ele veio, parecia criança, aliás, era tratado como criança pelo pai. Totalmente desorganizado, bagunceiro e sem respeito nenhum a minha pessoa.
    Meu marido ao se separar da mãe, deixou um excelente apto com piscina e tudo mais, quitado, para eles morarem.
    Eu já percebia algumas coisas quando o filho vinha passar os finais de semana em casa e conversava com meu meu marido a respeito, mas ele sempre ia contra, porque dizia que o filho vinha apenas aos finais de semana e que eu que implicava…
    Voltando ao assunto: O filho dele mentia, sutilmente desarrumava as coisas, deixava todas as portas dos armários abertas, nenhum tapete ficava no lugar. O tapete da sala que era bem peludo ficava cheio de unhas que ele cortava. E eu me matava para limpar. Comeram as brigas e meu marido não tomava atitude. Foi quando eu pedi para que ele conversasse com o filho para que pelo menos 1 vez por mês ele disse fosse ficar com a mãe um final de semana e meu marido dizia que não iria expulsar ele de casa. Veja bem, pedi que o filho nos desse o direito de ter um final de semana de privacidade e meu marido não tinha coragem de falar com o filho de 20 anos.
    Em uma dessas brigas, eu decidi ir embora.
    Eu e meu marido continuamos a namorar, motéis aos finais de semana e quando estava para completar 1 ano nessa situação, conversamos e decidimos morar juntos novamente, voltei para o apto.
    Hoje a situação é assim, o filho vai completar daqui um mês 22 anos e cada dia pior… Se eu coloco algo em algum lugar, ele tira e coloca em outro, os tapetes ficam todos bagunçados e não é pq a pessoa passou e sem querer sai, é bagunçado mesmo. O ar condicionado que fica na sala, ele tira e coloca em outro. Há migalhas de pão em todos os lugares. Se eu coloco a garrafa de água em um local na geladeira, ele tira e coloca em outro, assim acontece com potes de palmito, azeitonas e etc…
    Não tem a mínima educação, se estou conversando com meu marido ele interrompe e fica pai…pai..pai, até meu marido responder…
    Além de tudo isso a falta de higiene. Cueca borrada de côco, isso mesmo. Não lavo mais a roupa dele…morro de nojo.
    Esses dias ele pegou a esponja que deixo na área, que uso para lavar os banheiros, ele usou para lavar louça que havia sujado. Ah! Ele só lava a louça dele que suja, pq meu marido disse a ele que se não fizer, não irá emprestar o carro, a partir daí, começou a lavar.
    Qto a higiene, esses dias fiz linguiça com molho, ele chegou da faculdade e pegou com mão suja…nem comi, de tanto nojo.
    Outro dia, sentados na mesa para jantar, ele comia o frango a passarinho e colocava os ossos na mesma tijela que estavam os frangos que íamos comer, assim como, misturar o suco com o mesmo copo que estava bebendo.
    Fora que pegou um desses potinhos de plásticos que colocamos alimentos, colocou água e bicarbonato e molhava a escova para lavar o tênis. Total falta de higiene…isso e pouco, a cada dia algo diferente…
    Como eu não queria cometer o erro de chamar a atenção do rapaz, falava com meu marido…adivinha, meu marido sempre achando tudo normal e pior, dizendo que eu deveria fechar os olhos para as coisas que ele fazia. Até que eu disse que ia embora…então meu marido chamou nós 2 para conversar, no início da conversa deu logo para perceber que os dois já sabiam sobre o assunto.
    Meu marido falou sobre algumas coisas e sobre o fato dele nos dar de vez em quando privacidade, mas TB deixou claro que não era uma regra. Só que meu marido disse a ele que 1 vez por mês nós iríamos ficar fora para dar privacidade ao filho para que ele trouxesse quem ele quisesse em casa.. O filho disse que estava sem tempo para ir para a casa da mãe dele pq esta fazendo o TCC, mentira pura, ele só vai a faculdade as segunda e olhe la…de terça a sexta ele chega às 17 HR, dorme até a hora que meu marido chega e fica assistindo televisão até meia noite. Sábado e domingo fica o dia inteiro assistindo televisão e sequer pega computado para mexer em TCC. Eu não acreditei naquilo que estava ouvindo… E meu marido acredita em todas as falácias dele ou finge que acredita.
    Não demorou 2 horas depois da conversa, meu marido veio meio que sem jeito me chamando para sairmos, eu não entendi pq sempre nos programamos para sair, como ele percebeu a minha cara de espanto, ele contou que uma menina viria casa…
    Tive que me arrumar, fomos ao cinema, enfim, ao chegarmos em casa, os dois estavam deitados no sofá e a menina dormiu em casa…
    Brigamos novamente, pois achei uma bairro, uma menina que até então não conhecíamos vir em casa, deitar no sofá como se tivesse total intimidade e dormiu em casa… Fui taxada de antiquada e o diabo a quatro.

    Tudo que o filho faz, seja lá o que for, meu marido já vem com mil desculpas e se justifica pelo filho, inclusive já peguei várias mentiras do meu marido para defender o filho.
    Quero ressaltar que a forma como as coisas são conduzidas aqui dentro é que sou empregada, que estou morando de favor, e que manda é o filho. As regras são impostas para mim…
    O rapaz chega do trabalho, suado, com a meia que e imunda (imunda mesmo) deita no sofá e dorme todos os dias. Eu assisto televisão na sala porque fica próximo a cozinha ( onde sempre tenho algo para fazer), portanto não posso assistir televisão pq ele toma posse…
    Se eu e meu marido estamos na sala e o filho chega, imediatamente, meu marido me chama para o quarto para assistirmos televisão, pq eu sei que ele quer fazer a vontade do filho ( isso pq o filho tem televisão no quarto).
    E quanto a mãe? A mãe se faz de coitada e sonsa, casou de novo, não paga nada, não ajuda em nada e nem conversei o filho de ficar com ela um final de semana. Mas segundo me falaram, ela foi morar longe pq queria se livrar do filho( único) pq ele não a respeitava, xingava e gritava com ela…
    Agora estou eu aqui…não sou madrasta, não sou nada dessa pessoa que não tem o menor respeito por mim. Na verdade existe mais mal-enteados do que madrasta.
    Eu tenho orado muito e pedido a Deus a me ajudar a tomar uma decisão.
    Ando quieta, não abro mais minha boca para falar nada para não ter brigas e ainda tenho que ouvir os questionamentos do meu marido me perguntando o que eu tenho.
    É impossível a pessoa ser tão cega e não conseguir olhar o que acontece a volta. Meu marido é um egoísta, nunca deu autoridade para a mãe do rapaz quando eram casados e o mesmo ocorre comigo…
    Não estou suportando mais isso.
    O sentimento está indo embora e nada mais faz sentido ou importa…

  25. Oi boa tarde nossa vivo situações parecida sou casada a 12 anos tenho duas filhas com meu marido uma de 8 anos outra de 8 mes ha um ano ele resolveu trazer os dois filhos dele pra mora com agente eu nao queria mais mesmo assim ele trouxe a mae das drles nao que mais eles pro nada nen nas ferias ela pega ja tem um ano e meio que eles mora aqui ela nunca mais viu ne um dos dois e muito difícil lidar com eles o menino e ate melhor mais a menina e muito difícil tem 14 anos nao faz nada aonde come deixa o prato nao faz nada nada vai pro colégio pela manha e passa a tarde todo deitada so levanta pra come eu trabalho quando chego em casa ta uma bagunça e tenho de fazer as coisas e cuida da minha pequena as reclamou pro meu marido ele acha ruin fala que eu que sou enjuada eu nao sei mais o que fazer pedi separação ele nao quer mim dar pedi pra ele sai de casa com os filhos dele mais ele falou que nao sai e pra mim sai no momento esta difícil pq tem uma bebe e muito triste passa pro isso

  26. Oi boa tarde nossa vivo situações parecida sou casada a 12 anos tenho duas filhas com meu marido uma de 8 anos outra de 8 mes ha um ano ele resolveu trazer os dois filhos dele pra mora com agente eu nao queria mais mesmo assim ele trouxe a mae das drles nao que mais eles pro nada nen nas ferias ela pega ja tem um ano e meio que eles mora aqui ela nunca mais viu ne um dos dois e muito difícil lidar com eles o menino e ate melhor mais a menina e muito difícil tem 14 anos nao faz nada aonde come deixa o prato nao faz nada nada vai pro colégio pela manha e passa a tarde todo deitada so levanta pra come eu trabalho quando chego em casa ta uma bagunça e tenho de fazer as coisas e cuida da minha pequena as reclamou pro meu marido ele acha ruin fala que eu que sou enjuada eu nao sei mais o que fazer pedi separação ele nao quer mim dar pedi pra ele sai de casa com os filhos dele mais ele falou que nao sai e pra mim sai no momento esta difícil pq tem uma bebe e muito triste passa pro isso

  27. Olá meninas.. estou chateada ultimamente. Em maio a mãe dos meus enteados faleceu. Já tenho 3 filhos..dois meninos, um de 8 e um de 4 e uma menina de 5 anos. Ganhei um casal de enteados uma de 12 e um de 8. De repente cinco filhos..Sim trato eles como filhos. Mas como a criação deles foi mto diferente dos meus.. isso acaba comigo. Passei por mtas dificuldades, mas sou positiva..pra frente e não guardo rancor. Já eles são negativos pq cresceram assim..até entendo mas não tá fácil com que eles vejam o lado bom da vida.. e a menina se faz de santinha, mas me falam q ela não é nada disso.
    Enfim..o pai fica do meu lado e ameaça bater neles..Mas ñ quero q ele faça isso..pq sempre acredito no amor e no diálogo.
    Os dois fazem terapia..a menina fazia automutilação e a família não sabia..o menino eu descobri q ele tinha dislexia e déficit de atenção.. eu sei q não sou ruim, tento fazer pelo melhor mas as vezes eles brigam mto com meus filhos. Ai eu fico dividida. E a energia as vezes negativa, as palavras secas e sem sentimentos me esgota. Eu relevo tenho q ser forte..faço terapia e tomo medicamentos.
    Se puderem dar suas opiniões ou quiserem saber mais me chamem. Grande bjo.

  28. Olá meninas.. estou chateada ultimamente. Em maio a mãe dos meus enteados faleceu. Já tenho 3 filhos..dois meninos, um de 8 e um de 4 e uma menina de 5 anos. Ganhei um casal de enteados uma de 12 e um de 8. De repente cinco filhos..Sim trato eles como filhos. Mas como a criação deles foi mto diferente dos meus.. isso acaba comigo. Passei por mtas dificuldades, mas sou positiva..pra frente e não guardo rancor. Já eles são negativos pq cresceram assim..até entendo mas não tá fácil com que eles vejam o lado bom da vida.. e a menina se faz de santinha, mas me falam q ela não é nada disso.
    Enfim..o pai fica do meu lado e ameaça bater neles..Mas ñ quero q ele faça isso..pq sempre acredito no amor e no diálogo.
    Os dois fazem terapia..a menina fazia automutilação e a família não sabia..o menino eu descobri q ele tinha dislexia e déficit de atenção.. eu sei q não sou ruim, tento fazer pelo melhor mas as vezes eles brigam mto com meus filhos. Ai eu fico dividida. E a energia as vezes negativa, as palavras secas e sem sentimentos me esgota. Eu relevo tenho q ser forte..faço terapia e tomo medicamentos.
    Se puderem dar suas opiniões ou quiserem saber mais me chamem. Grande bjo.

    1. Hei, Denise! Você é uma mãezona. Tem os seus e ainda cuida de outros.
      Muito difícil a situação, mas quando se coloca o amor de Deus na frente, tudo se supera.

  29. Nao sei mais o que fazer. Moro nos EUA e sou casada a 4 anos.Meu marido tem 3 filhos do primeiro casamento. Um mais mal educado que o outro. O filho do meio sempre foi o mais rebelde de todos e a mae nao aguenta mais ele e mandou ele morar com a gente. Nao tenho mais vontade de voltar pra casa depois do trabalho, ele domina a sala, nao ajuda se nao mandar, manipula o pai dele em tudo, é mimado, preguiçoso, é suspenso da escola sempre. Nao consigo mais. Nao queria acabar meu casamento, mas nao tenho estrutura para suportar o filho dele, sem contar nos outros que nas poucas vezes qua vao para minha casa tocam o terror. Queria ser aquela pessoa boa que aparecem nos filmes e conseguem transformar tudo isso em amor. Sou evangelica e me sinto culpada nao conseguir suportar ele mais. Serio, ja discutimos muito ele impressao que tenho é que meu marido sempre ta do lado dele.
    E ao mesmo tempo vivo um grande dilema, pois vivo fora do meu pais e me sinto sozinha!
    Queria mudar tudo, sempre que nos mudassemos para outro estado, mas sempre tive pena dele ficar longe dos filhos. Mas hj sei que devia ter insistido mais para isso.

  30. Nao sei mais o que fazer. Moro nos EUA e sou casada a 4 anos.Meu marido tem 3 filhos do primeiro casamento. Um mais mal educado que o outro. O filho do meio sempre foi o mais rebelde de todos e a mae nao aguenta mais ele e mandou ele morar com a gente. Nao tenho mais vontade de voltar pra casa depois do trabalho, ele domina a sala, nao ajuda se nao mandar, manipula o pai dele em tudo, é mimado, preguiçoso, é suspenso da escola sempre. Nao consigo mais. Nao queria acabar meu casamento, mas nao tenho estrutura para suportar o filho dele, sem contar nos outros que nas poucas vezes qua vao para minha casa tocam o terror. Queria ser aquela pessoa boa que aparecem nos filmes e conseguem transformar tudo isso em amor. Sou evangelica e me sinto culpada nao conseguir suportar ele mais. Serio, ja discutimos muito ele impressao que tenho é que meu marido sempre ta do lado dele.
    E ao mesmo tempo vivo um grande dilema, pois vivo fora do meu pais e me sinto sozinha!
    Queria mudar tudo, sempre que nos mudassemos para outro estado, mas sempre tive pena dele ficar longe dos filhos. Mas hj sei que devia ter insistido mais para isso.

  31. Graça a Deus! Eu tenho três enteados e todos me respeitam. Um veio morar com nós, agora já com 18 anos, trabalha e passa só alguns finais ver semana com a gente. Gente! Orem pra Deus consolidar vossos casamentos e imponham regras em seus lares. Quem chegar tem que respeitar as regras e pronto. Deus abençoe vcs!

  32. Graça a Deus! Eu tenho três enteados e todos me respeitam. Um veio morar com nós, agora já com 18 anos, trabalha e passa só alguns finais ver semana com a gente. Gente! Orem pra Deus consolidar vossos casamentos e imponham regras em seus lares. Quem chegar tem que respeitar as regras e pronto. Deus abençoe vcs!

  33. Vai piorar e muito! Não finja q será diferente só para casar! Vai estressar sua vida e no final vc sofrerá e terá casamento infeliz. O amor não supera tudo!!! Se for preciso vire essa página, vc encontrará alguém com uma vida q se enquadre a sua. As vezes, só para casar-se nós mulheres fingimos q td ficará bem após o casamento, e saiba, não ficará!!!

  34. Vai piorar e muito! Não finja q será diferente só para casar! Vai estressar sua vida e no final vc sofrerá e terá casamento infeliz. O amor não supera tudo!!! Se for preciso vire essa página, vc encontrará alguém com uma vida q se enquadre a sua. As vezes, só para casar-se nós mulheres fingimos q td ficará bem após o casamento, e saiba, não ficará!!!

  35. Fiz isso,mas meu marido preferiu a filha eo namorado dela de15 anos a se amigarem na nossa casa.E ela de 15 anos os dois não comem da comida q eu faço,e ela não lava nem um copo pra mim. Só ficam no quarto dela deitados na cama do pai apoia,vou acabar saindo de casa depois de 13 anos morando junto, não aguento mais….Oq devo fazer???

    1. Essa é uma situação desafiadora mas queremos mostrar que existe uma solução para que a vida familiar volte a ser saudável. O Instituto do Casal está aqui para ajuda-las em suas necessidades, continue nos acompanhando e se precisarem de terapia não deixe de nos contatar.

    2. Essa é uma situação desafiadora mas queremos mostrar que existe uma solução para que a vida familiar volte a ser saudável. O Instituto do Casal está aqui para ajuda-las em suas necessidades, continue nos acompanhando e se precisarem de terapia não deixe de nos contatar.

  36. Fiz isso,mas meu marido preferiu a filha eo namorado dela de15 anos a se amigarem na nossa casa.E ela de 15 anos os dois não comem da comida q eu faço,e ela não lava nem um copo pra mim. Só ficam no quarto dela deitados na cama do pai apoia,vou acabar saindo de casa depois de 13 anos morando junto, não aguento mais….Oq devo fazer???

    1. Olá Priscila, talvez você precise fazer de ajustes e combinados bem delimitados para dar certo. Lembre-se que você pode ser uma importante fonte de apoio e suporte na criação e na educação das crianças. E diga ao parceiro se precisar do apoio.

      1. Também pensava que combinando, tudo ficaria bem.
        Não há combinados quando o pai acoberta os filhos, quando tem pena até se pede pra lavar o próprio copo de leite que usou.
        Não há combinados quando falta respeito e sobra deboches.
        Minha mãe ensinou que a casa dos outros, as regras são dos outros. No meu caso, eu que tive que me adaptar a eles, não eles a mim. Desde o início o pai deixou bem claro que seus filhos eram dois coitadinhos maltratados pela mãe.
        E eu? Eu sou o quê? Quando digo isso, me chama de egoísta.
        Não há um combinado. Neste caso o melhor é cada um seguir com as suas responsabilidades.

    2. Olá Priscila, talvez você precise fazer de ajustes e combinados bem delimitados para dar certo. Lembre-se que você pode ser uma importante fonte de apoio e suporte na criação e na educação das crianças. E diga ao parceiro se precisar do apoio.

  37. Tenho uma filha de 12 anos, meu marido tem 8 filhos, nenhum mora com ele, porém o filho de 11 anos quer vir morar com a gente, briga com a mãe e quer vir pra cá, minha filha não é filha do meu marido. Como posso deixar dois adolescentes sozinhos em casa enquanto trabalhamos, sem contar que se o menino não respeita a mãe como vai me respeitar, só temos o meu quarto e o quarto da minha filha, como deixar os dois dormindo juntos, não sei o que faço, amo meu marido, não é um caso que o menino tem que morar com o pai, são brigas de adolescente rebelde com a mãe, meu marido não entende meu ponto de vista. Acho que vamos acabar nos separando, estou muito triste com isso.

    1. Olá Adriana, sinto muito, você tem razão, parece mesmo uma situação muito complexa e delicada. Você precisa avaliar se sente escutada em relação às suas inseguranças e dores. Não tome nenhuma atitude se estiver se sentindo insegura! Lembre-se de que temos as nossas intuições… escute a sua. E sempre podemos pensar em formatos alternativos para as relações, talvez se ele não quiser abrir mão de morar com o filho e isto estiver desconfortável a você, talvez possam pensar no formato de continuarem casados porém em casas separadas… esta é uma das alternativas.

    2. Olá Adriana, sinto muito, você tem razão, parece mesmo uma situação muito complexa e delicada. Você precisa avaliar se sente escutada em relação às suas inseguranças e dores. Não tome nenhuma atitude se estiver se sentindo insegura! Lembre-se de que temos as nossas intuições… escute a sua. E sempre podemos pensar em formatos alternativos para as relações, talvez se ele não quiser abrir mão de morar com o filho e isto estiver desconfortável a você, talvez possam pensar no formato de continuarem casados porém em casas separadas… esta é uma das alternativas.

  38. Tenho uma filha de 12 anos, meu marido tem 8 filhos, nenhum mora com ele, porém o filho de 11 anos quer vir morar com a gente, briga com a mãe e quer vir pra cá, minha filha não é filha do meu marido. Como posso deixar dois adolescentes sozinhos em casa enquanto trabalhamos, sem contar que se o menino não respeita a mãe como vai me respeitar, só temos o meu quarto e o quarto da minha filha, como deixar os dois dormindo juntos, não sei o que faço, amo meu marido, não é um caso que o menino tem que morar com o pai, são brigas de adolescente rebelde com a mãe, meu marido não entende meu ponto de vista. Acho que vamos acabar nos separando, estou muito triste com isso.

  39. Eu estou de saco cheio dessa situação o cara nem ligava pro filho eu até cheguei a cobra isso dele depois que casamos com um mês o menino não sair mais da minha casa ele é um menino bom mas eu não tou afim quero minha privacidade que inferno pra piora descubro que estou grávida

    1. Deyse, são várias mudanças significativas que você está passando nesse momento. Além do sentimento da falta de privacidade, tem também a gravidez. Se você e seu parceiro não conseguirem enfrentar as mudanças sozinhos, vale a busca de um mediador terapeuta de casal que pode intermediar e contribuir na construção de um novo modelo para a convivência. Entre em contato conosco por email contato@institutodocasal.com.br ou pelo whatsapp (11) 99404-2702

  40. Eu estou de saco cheio dessa situação o cara nem ligava pro filho eu até cheguei a cobra isso dele depois que casamos com um mês o menino não sair mais da minha casa ele é um menino bom mas eu não tou afim quero minha privacidade que inferno pra piora descubro que estou grávida

    1. Deyse, são várias mudanças significativas que você está passando nesse momento. Além do sentimento da falta de privacidade, tem também a gravidez. Se você e seu parceiro não conseguirem enfrentar as mudanças sozinhos, vale a busca de um mediador terapeuta de casal que pode intermediar e contribuir na construção de um novo modelo para a convivência. Entre em contato conosco por email contato@institutodocasal.com.br ou pelo whatsapp (11) 99404-2702

  41. Gente salve nos madrasta, nos sofremos muito olhando pro lado emocional, o que poderia ser uma familia feliz, nos passamos a conviver com esses cenarios que todas nos não queremos viver, não aconselho ninguém a casar com pessoas que tenha filhos nem que os filhos do morem com a mãe. Eu sou madrasta e casa dia que ele faz idade acho que vai melhorar aí piora tem 12 anos com atitudes de 5 anos. Ate cocô na privada deixa e sempre foi aqui pra chama atenção e a resposta é sempre ( eu me esqueci) ja pensei em várias vezes ir embora, tentei ser amiga da criança, e a relação entre nós só piora, o pai tambem chama atenção mais não temls resultados positivos sempre quando ha uma escolha a se fazer ele semprw vai pro lado ruim das coisas. Estou cansada emocionalmente falando nem consigo pensar em ser mãe pelo que passo …

    1. Você nos traz uma vivência difícil. Mas nós adultos temos a capacidade de educar e colocar os limites sempre alinhado com pai. Se a situação estiver muito difícil uma terapia para o menino pode ser uma boa alternativa. E estamos à disposição se quiser marcar uma consulta para conversarmos. Pode ser por email contato@institutodocasal.com.br ou pelo whatsapp (11) 99404-2702

    2. Você nos traz uma vivência difícil. Mas nós adultos temos a capacidade de educar e colocar os limites sempre alinhado com pai. Se a situação estiver muito difícil uma terapia para o menino pode ser uma boa alternativa. E estamos à disposição se quiser marcar uma consulta para conversarmos. Pode ser por email contato@institutodocasal.com.br ou pelo whatsapp (11) 99404-2702

  42. Gente salve nos madrasta, nos sofremos muito olhando pro lado emocional, o que poderia ser uma familia feliz, nos passamos a conviver com esses cenarios que todas nos não queremos viver, não aconselho ninguém a casar com pessoas que tenha filhos nem que os filhos do morem com a mãe. Eu sou madrasta e casa dia que ele faz idade acho que vai melhorar aí piora tem 12 anos com atitudes de 5 anos. Ate cocô na privada deixa e sempre foi aqui pra chama atenção e a resposta é sempre ( eu me esqueci) ja pensei em várias vezes ir embora, tentei ser amiga da criança, e a relação entre nós só piora, o pai tambem chama atenção mais não temls resultados positivos sempre quando ha uma escolha a se fazer ele semprw vai pro lado ruim das coisas. Estou cansada emocionalmente falando nem consigo pensar em ser mãe pelo que passo …

  43. Lendo seu comentário, me identifiquei totalmente…. Talvez seja um pouco egoísta, mas essa frase “sou Feliz com meu esposo mais infeliz com meu enteado participando da minha família” vi saindo da minha boca. Só em pensar nas visitas quinzenais já me ataco dos nervos, por que minha enteada quando esta conosco se faz o tempo todo de vitima, ja ensinamos inúmeras vezes a tentar dormir sozinha, mas quando ela vê que o pai ficará comigo faz drama, a mãe uma manipuladora, já incomodou até bom rábico (presilhas de cabelo). Sofro de ansiedade, e lendo essas historias, fico pensando que nunca quero passar por isso, morar junto jamais estará em cogitação… Rezo todas as vezes, e peço que a minha vida continue sendo com PAZ..

    1. Alyne, é uma situação desafiadora mas queremos mostrar que existe uma solução para que a vida familiar seja saudável. Seja com a criança indo morar com o pai/mãe e a madrasta/padrasto ou seja vindo visitar a cada 15 dias. O Instituto do Casal está aqui para ajudar. Se achar necessário entre em contato conosco para ajudar com a relação da sua enteada. Estamos à disposição. Entre em contato conosco por email contato@institutodocasal.com.br ou pelo whatsapp (11) 99404-2702. Podemos conversar.

    2. Alyne, é uma situação desafiadora mas queremos mostrar que existe uma solução para que a vida familiar seja saudável. Seja com a criança indo morar com o pai/mãe e a madrasta/padrasto ou seja vindo visitar a cada 15 dias. O Instituto do Casal está aqui para ajudar. Se achar necessário entre em contato conosco para ajudar com a relação da sua enteada. Estamos à disposição. Entre em contato conosco por email contato@institutodocasal.com.br ou pelo whatsapp (11) 99404-2702. Podemos conversar.

  44. Lendo seu comentário, me identifiquei totalmente…. Talvez seja um pouco egoísta, mas essa frase “sou Feliz com meu esposo mais infeliz com meu enteado participando da minha família” vi saindo da minha boca. Só em pensar nas visitas quinzenais já me ataco dos nervos, por que minha enteada quando esta conosco se faz o tempo todo de vitima, ja ensinamos inúmeras vezes a tentar dormir sozinha, mas quando ela vê que o pai ficará comigo faz drama, a mãe uma manipuladora, já incomodou até bom rábico (presilhas de cabelo). Sofro de ansiedade, e lendo essas historias, fico pensando que nunca quero passar por isso, morar junto jamais estará em cogitação… Rezo todas as vezes, e peço que a minha vida continue sendo com PAZ..

  45. Meu filho esta morando com a minha mãe no Brasil, eu estou trabalhando em outro país há 3 anos, me casei e meu marido tem um filho de 8 anos, ele nao é mal educado é uma criança até bem calma, mas o fato de eu estar longe do meu e cuidando do enteado. Com a pandemia as visitas que eram quinzenais, esta sendo praticamente uma guarda compartilhada, ele fica 1 semana com a mãe uma semana com nós, pq ele esta sem aula. Me sinto muito culpada por nao querer ele perto, queria gostar dele, amar… assim como amo o meu. Mas esta cada vez mais difícil, ja pensei ate em me separar do meu marido e voltar pro Brasil, mesmo amando muito, e tendo um relacionamemto muito bom com ele, sinto que estou no meu limite.

    1. Amanda, não teria como falar sobre esses sentimentos para o seu marido. Pense em uma forma de estar mais presente com o seu filho também. A princípio, se separar de quem gosta não seria uma boa opção, pois tem várias outras possibilidades que poderiam ser negociadas e conversados. Pense nisso. Se precisar de ajuda entre em contato conosco por email contato@institutodocasal.com.br ou pelo whatsapp (11) 99404-2702. Podemos conversar.

    2. Amanda, não teria como falar sobre esses sentimentos para o seu marido. Pense em uma forma de estar mais presente com o seu filho também. A princípio, se separar de quem gosta não seria uma boa opção, pois tem várias outras possibilidades que poderiam ser negociadas e conversados. Pense nisso. Se precisar de ajuda entre em contato conosco por email contato@institutodocasal.com.br ou pelo whatsapp (11) 99404-2702. Podemos conversar.

  46. Meu filho esta morando com a minha mãe no Brasil, eu estou trabalhando em outro país há 3 anos, me casei e meu marido tem um filho de 8 anos, ele nao é mal educado é uma criança até bem calma, mas o fato de eu estar longe do meu e cuidando do enteado. Com a pandemia as visitas que eram quinzenais, esta sendo praticamente uma guarda compartilhada, ele fica 1 semana com a mãe uma semana com nós, pq ele esta sem aula. Me sinto muito culpada por nao querer ele perto, queria gostar dele, amar… assim como amo o meu. Mas esta cada vez mais difícil, ja pensei ate em me separar do meu marido e voltar pro Brasil, mesmo amando muito, e tendo um relacionamemto muito bom com ele, sinto que estou no meu limite.

  47. É muito complicada essa situação, pois o mundo é machista e se for ver o certo é o pai e a mãe dividir as responsabilidades da mesma maneira, mas entendo vocês pois também tenho um enteado que está acabando com meu casamento.

    Meu enteado fica uma semana na casa da mãe e uma semana na minha casa, a divisão é metade pra cada pra ser justo, mas quando ele está aqui meu marido não tem tempo pra respirar, pois ele tem 6 anos e exige muito (escola, tarefa, banho, comida)……. Eu não tenho filhos e não escolhi esse filho pra mim, então minha casa ficou dividida, meu marido e o filho dele com as coisas deles e eu com as minhas, porque não quero assumir responsabilidade pelas coisas da criança, não escolhi isso. Com isso nosso casamento ta acabando. A semana que ele está na casa da mãe é uma paz, vivemos muito bem como uma família, quando ele está aqui volta o inferno. Tirando a parte que me sinto uma estranha na minha casa, como se a casa fosse deles e eles vivessem em um mundo paralelo.

    Infelizmente acredito que não exista saída, a responsabilidade é do pai e da mãe, os dois precisam cuidar da mesma maneira e a madrasta sempre será prejudicada. A unica saída é não se envolver com homens que tem filhos de outros relacionamentos, ou se separar caso já esteja com eles.

    1. Seu relato não é fácil. É preciso disponibilidade interna, empatia, generosidade e maturidade para lidar com uma situação em recasamentos quando existem filhos. Talvez não tomar a frente e não ficar tão responsável sem abrir mão de você e de seus afazeres pode ser uma opção. Lógico que bem conversado e condensado com o seu marido em função de como está se sentindo nesse atual momento de pandemia. Esperamos que com a vacina voltaremos ao mais próxima da vivência anterior. Se precisar de ajuda entre em contato conosco por email contato@institutodocasal.com.br ou pelo whatsapp (11) 99404-2702. Podemos conversar.

    2. Seu relato não é fácil. É preciso disponibilidade interna, empatia, generosidade e maturidade para lidar com uma situação em recasamentos quando existem filhos. Talvez não tomar a frente e não ficar tão responsável sem abrir mão de você e de seus afazeres pode ser uma opção. Lógico que bem conversado e condensado com o seu marido em função de como está se sentindo nesse atual momento de pandemia. Esperamos que com a vacina voltaremos ao mais próxima da vivência anterior. Se precisar de ajuda entre em contato conosco por email contato@institutodocasal.com.br ou pelo whatsapp (11) 99404-2702. Podemos conversar.

  48. É muito complicada essa situação, pois o mundo é machista e se for ver o certo é o pai e a mãe dividir as responsabilidades da mesma maneira, mas entendo vocês pois também tenho um enteado que está acabando com meu casamento.

    Meu enteado fica uma semana na casa da mãe e uma semana na minha casa, a divisão é metade pra cada pra ser justo, mas quando ele está aqui meu marido não tem tempo pra respirar, pois ele tem 6 anos e exige muito (escola, tarefa, banho, comida)……. Eu não tenho filhos e não escolhi esse filho pra mim, então minha casa ficou dividida, meu marido e o filho dele com as coisas deles e eu com as minhas, porque não quero assumir responsabilidade pelas coisas da criança, não escolhi isso. Com isso nosso casamento ta acabando. A semana que ele está na casa da mãe é uma paz, vivemos muito bem como uma família, quando ele está aqui volta o inferno. Tirando a parte que me sinto uma estranha na minha casa, como se a casa fosse deles e eles vivessem em um mundo paralelo.

    Infelizmente acredito que não exista saída, a responsabilidade é do pai e da mãe, os dois precisam cuidar da mesma maneira e a madrasta sempre será prejudicada. A unica saída é não se envolver com homens que tem filhos de outros relacionamentos, ou se separar caso já esteja com eles.

  49. Conselho: se possível não case com pessoas que já têm filhos, se estes forem morar com o novo casal. Filho é como “pum”: cada um suporta o seu. E quando uma das partes não tem filhos é ainda pior. Eu tenho que suportar um “putrião” de 24 anos, porque a mãe dele virou lésbica e não quer ele morando com ela. Ela só sabe postar no Instagram que ele foi feito apaixonadamente. Mas suportar o filho quem tem que suportar sou eu. E ainda moramos em uma casa de madeira da minha família, o que faz com que não tenhamos privacidade alguma. Sexo somente em silêncio. O rapaz bate tudo quanto é porta, pega a comida com a mão suja. Certamente quem tem que aguentar isso acaba não suportando. Uma hora o relacionamento acaba.

  50. Conselho: se possível não case com pessoas que já têm filhos, se estes forem morar com o novo casal. Filho é como “pum”: cada um suporta o seu. E quando uma das partes não tem filhos é ainda pior. Eu tenho que suportar um “putrião” de 24 anos, porque a mãe dele virou lésbica e não quer ele morando com ela. Ela só sabe postar no Instagram que ele foi feito apaixonadamente. Mas suportar o filho quem tem que suportar sou eu. E ainda moramos em uma casa de madeira da minha família, o que faz com que não tenhamos privacidade alguma. Sexo somente em silêncio. O rapaz bate tudo quanto é porta, pega a comida com a mão suja. Certamente quem tem que aguentar isso acaba não suportando. Uma hora o relacionamento acaba.

  51. Estou nessa situação de ter dois filhos, estou recasada e com essa pandemia meu enteado fica a maior tempo em minha casa. Não tenho estrutura emocional para 3 juntos. Não acho saída. Tomo antidepressivo e antidepressivos para camulfar um pouco a situação porque meu marido não aceita voltar a rotina anterior de visitações. O que tenho feito é pedir para o pai dos meus buscar os meninos mais frequentemente para ficar mais tranquilo. Aí passo mais tempo com o enteado do que com os meus (culpa). Estou com crises de enxaqueca – o que provavelmente é emocional, porque se reclamo da agitação dos 3 pode dar briga, então como o pai dos mês se oferece para ajudar… recorro a isso. Se reclamo, ele fala que os meus são problema e acha o dele que é como se não existisse. Claro que o comentário dele é inapropriado… os 3 juntos são agitados, ainda mais sem escola. Estou sem saída.

  52. Estou nessa situação de ter dois filhos, estou recasada e com essa pandemia meu enteado fica a maior tempo em minha casa. Não tenho estrutura emocional para 3 juntos. Não acho saída. Tomo antidepressivo e antidepressivos para camulfar um pouco a situação porque meu marido não aceita voltar a rotina anterior de visitações. O que tenho feito é pedir para o pai dos meus buscar os meninos mais frequentemente para ficar mais tranquilo. Aí passo mais tempo com o enteado do que com os meus (culpa). Estou com crises de enxaqueca – o que provavelmente é emocional, porque se reclamo da agitação dos 3 pode dar briga, então como o pai dos mês se oferece para ajudar… recorro a isso. Se reclamo, ele fala que os meus são problema e acha o dele que é como se não existisse. Claro que o comentário dele é inapropriado… os 3 juntos são agitados, ainda mais sem escola. Estou sem saída.

  53. Tenho 24 anos, não tenho filhos e sou casada com meu marido há 2 anos. E juntos temos 6 anos. Ele tem 2 filhos a menina tem 10 e o menino 8. Quando conheço meu esposo a menina tinha 4 e o menino tinha 1 quase 2. A mãe foi embora e abandonou os filhos com ele durante 1 ano. Depois disso a mãe pegou o menino que é agarrado com ela e a menina que é agarrada com meu marido ficou morando com meu marido. Até que eu me dou bem com os filhos dele. São bonzinhos. Mais oq não me entra na cabeça é a teimosia, a Falta de higiene. Eu falo, eu converso com a menina, eu ensino como fazer, como lavar, mas sempre diz que esqueceu. Deixa coco no vaso, não escova os dentes direito, muito preguiçosa tudo tem que mandar, isso cansa sabe. Ela ficou quase 2 meses na casa da mãe dela e já vai voltar, a mãe dela já reclamou muito do comportamento dela lá, e meu marido veio e falou comigo que a mãe dela fez reclamação, até demorou a fazer reclamação, achei que ela tinha mudado né, mas não, já até passei mal só de lembrar que ela vai voltar e vai ser a mesma coisa. Não dá valor ao nosso dinheiro, compra uma roupa a fica esticando a roupa igual uma criança de 2 anos e na verdade já tem 11 . Estou sem paciência, já falei com meu marido, ele queria até ir embora pra eu não passar mal, mas eu casei com ele, não quero que meu casamento acabe por causa de filhos dele. Teve um dia que lavei o banheiro todo, aí o filho dele de 8 anos foi fazer coco e sujou o vaso, aonde senta, na lixeira deixou papel sujo amostra, eu odeio isso. Meu esposo nem se quer brigou com ele. Estou saturada, queria que a menina morasse com a mãe, a mãe já pediu pra menina morar lá, mas ele teria que pagar a pensão dos 2 filhos e ele está desempregado, e se não pagar pensão vai preso! E aí, Fizeram o grupo no WhatsApp?

    1. Carol, quando se entra em uma relação onde já se existe filhos, é realmente um desafio. Talvez um aconselhamento psicológico para as crianças seja uma boa ideia para entender o motivo desse comportamento.
      Esperamos que você e seu marido fique bem!
      Abraços

    2. Carol, quando se entra em uma relação onde já se existe filhos, é realmente um desafio. Talvez um aconselhamento psicológico para as crianças seja uma boa ideia para entender o motivo desse comportamento.
      Esperamos que você e seu marido fique bem!
      Abraços

      1. Parece muito cansativo entrar numa relação onde a outra pessoa traz um filho de outra relação. Eu comecei a namorar uma mulher, que morava sozinha, e tudo ia bem, nos damos muito bem. Passado alguns meses, decidi morar com ela, e entregar minha casa alugada, para assim, dividir o aluguel de lá. Nesse meio tempo, ela recebeu a visita de familiares no final do ano (vieram de outro estado), e a filha dela veio junto. Até então achei que seria uma situação temporária, mas, recebo a notícia que a filhota ia ter que ficar. Lindo não? Com a desculpa que era para ficar mais perto do namorado que mora em outro estado, algumas horas daqui, e estudar. Ok, engoli a seco, porém, o tal namorado não vem aqui, nem ela vai lá, só foi uma vez desde q está aqui. Só se falam virtualmente. Entrou num curso superior pago, porém quase não vejo a estudar. A atenção toda é para games online e animes. Atividades em casa, não faz nenhuma, só dorme, acorda, come, joga e fica nesse ciclo. Tem 20 anos, mas parece ter 12 anos. Nenhuma responsabilidade e age como uma criancinha. A mãe tem q fazer tudo. Reclamo com a mãe, mas ela nada faz, diz q é assim mesmo. A garota dorme na hora que saímos pra trabalhar. Sinto minha motivação descendo degrau a degrau a medida que os dias avançam. Não calculei essa possibilidade dela trazer a filha adulta para morar junto. Não me importei no início, mas vejo que dificilmente essa situação mudará.

  54. Tenho 24 anos, não tenho filhos e sou casada com meu marido há 2 anos. E juntos temos 6 anos. Ele tem 2 filhos a menina tem 10 e o menino 8. Quando conheço meu esposo a menina tinha 4 e o menino tinha 1 quase 2. A mãe foi embora e abandonou os filhos com ele durante 1 ano. Depois disso a mãe pegou o menino que é agarrado com ela e a menina que é agarrada com meu marido ficou morando com meu marido. Até que eu me dou bem com os filhos dele. São bonzinhos. Mais oq não me entra na cabeça é a teimosia, a Falta de higiene. Eu falo, eu converso com a menina, eu ensino como fazer, como lavar, mas sempre diz que esqueceu. Deixa coco no vaso, não escova os dentes direito, muito preguiçosa tudo tem que mandar, isso cansa sabe. Ela ficou quase 2 meses na casa da mãe dela e já vai voltar, a mãe dela já reclamou muito do comportamento dela lá, e meu marido veio e falou comigo que a mãe dela fez reclamação, até demorou a fazer reclamação, achei que ela tinha mudado né, mas não, já até passei mal só de lembrar que ela vai voltar e vai ser a mesma coisa. Não dá valor ao nosso dinheiro, compra uma roupa a fica esticando a roupa igual uma criança de 2 anos e na verdade já tem 11 . Estou sem paciência, já falei com meu marido, ele queria até ir embora pra eu não passar mal, mas eu casei com ele, não quero que meu casamento acabe por causa de filhos dele. Teve um dia que lavei o banheiro todo, aí o filho dele de 8 anos foi fazer coco e sujou o vaso, aonde senta, na lixeira deixou papel sujo amostra, eu odeio isso. Meu esposo nem se quer brigou com ele. Estou saturada, queria que a menina morasse com a mãe, a mãe já pediu pra menina morar lá, mas ele teria que pagar a pensão dos 2 filhos e ele está desempregado, e se não pagar pensão vai preso! E aí, Fizeram o grupo no WhatsApp?

  55. Sou casada e meu enteado mora comigo a 3 anos hoje ele tem 7 anos ele vista a mãe 4 vezes ao mês. Tenho direito a ficar com ele nos dias da mae tbm ou não?

  56. Sou casada e meu enteado mora comigo a 3 anos hoje ele tem 7 anos ele vista a mãe 4 vezes ao mês. Tenho direito a ficar com ele nos dias da mae tbm ou não?

  57. Estou com o meu marido ha 15 anos. E hoje o filho dele com 22 anos disse que quer vir morar conosco. Não estou sabendo lhe dar com essa situação. Estou lendo bastante comentários e confesso que tenho a impressão que não vai dar certo. Sempre me dei bem com ele, porém em casas diferentes, hoje ele é um homem. Se alguém tiver dicas para me ajudar, agradeço!

  58. Estou com o meu marido ha 15 anos. E hoje o filho dele com 22 anos disse que quer vir morar conosco. Não estou sabendo lhe dar com essa situação. Estou lendo bastante comentários e confesso que tenho a impressão que não vai dar certo. Sempre me dei bem com ele, porém em casas diferentes, hoje ele é um homem. Se alguém tiver dicas para me ajudar, agradeço!

  59. Bom dia, eu passei por essas situações também e não foi nada fácil. Meu companheiro tinha 3 filhos, (2 do primeiro casamento e o outro do segundo casamento), que foi morar com a gente quando tinha 9 anos e não me respeitava… na frente do pai era uma coisa e nas costas era outra, quando completou 16 anos resolveu ir morar com a mãe. A hora que eu pensei que ia ter um pouquinho de paz o outro filho que era casado separou da mulher e foi morar lá em casa, nem tinha acabado de separar direito e já estava com outra mulher, levou lá pra casa, falei com meu marido que era uma falta de respeito, ele ficou contra mim e a favor do filho. Moral da história – Nos separamos….

  60. Bom dia, eu passei por essas situações também e não foi nada fácil. Meu companheiro tinha 3 filhos, (2 do primeiro casamento e o outro do segundo casamento), que foi morar com a gente quando tinha 9 anos e não me respeitava… na frente do pai era uma coisa e nas costas era outra, quando completou 16 anos resolveu ir morar com a mãe. A hora que eu pensei que ia ter um pouquinho de paz o outro filho que era casado separou da mulher e foi morar lá em casa, nem tinha acabado de separar direito e já estava com outra mulher, levou lá pra casa, falei com meu marido que era uma falta de respeito, ele ficou contra mim e a favor do filho. Moral da história – Nos separamos….

  61. Estou desesperada, não aguento mais. Meu casamento esta se acabando. Eu não aguento mais conviver com algo que não quero.

  62. Estou desesperada, não aguento mais. Meu casamento esta se acabando. Eu não aguento mais conviver com algo que não quero.

  63. Eu me relacionei com uma pessoa que já tinha um filho, mas não tinha uma convivência contínua, então começamos a namorar, tivemos um filho, e do nada ela começou a querer ser mais presente, falar mais com o pai sobre a criança, como se eu tivesse despertado o lado mãezona dela. Mas isso me incomoda, e me sinto muito mau por isso, não temos um final de semana em família como eu imaginava (eu, esposa e filho) eu preciso de ajuda para lhe dar com a situação.

    1. Sempre falamos da importância do diálogo entre o casal. Dizer o que está incomodando e juntos encontrar soluções para os impasses vai melhorar muito a relação de vocês. A terapia de casal também pode ajudar. Entre em contato conosco que podemos agendar uma consulta. Abraços

  64. Estou num relacionamento que está começando a ter esse cenário descrito por vocês…Moro só e namoro uma mulher separada e com 2 filhas. Sou viúvo a 10 anos e tenho 53 anos e sem filhos. A minha namorada está vindo para casa só nos finais de semana e reivindica passar mais tempo aqui, me “auxiliando” nos afazeres domésticos. acontece que sei lavar, cozinhar, passar, capinar, limpar e arrumar casa desde os 13 anos, muito estimulado por minha avó. Acontece que a namorada quer morar com as filhas aqui, pois moram com a avó delas e eu sinceramente não gosto da atitude de uma delas, pois tentei dar conselhos sobre namorado e ela me disse que “eu não sou pai dela”. A namorada não coloca freio nela e ela sai e fica até tarde da noite com “amigas” e eu gosto de ter hora para me deitar, ler, escutar música e ver filmes. A minha namorada diz que tudo vai ser diferente morando aqui em casa e ela terá mais controle sobre ela…NÃO VAI TER. Elas não ajudam nos afazares domésticos e só ficam marcando encontro com amigos, e temo perder autoridade na minha própria casa, inclusive quando receber a trágica notícia de gravidez. Ai só vai piorar pro meu lado. Penso seriamente em acabar o relacionamento que já tem mais discussões do que momentos de prazer.

  65. Na real, não recomendo pra ninguém…. Casar com alguém que já tenha filhos….
    Eu já pensava em nunca me envolver com alguém que tivesse filhos, mas por encontrar uma pessoa legal, resolvi dar uma chance…. Conheço pessoas que tem tem enteado(a) e que são tratados como se fossem os pais verdadeiros, mas na real isso é loteria, eu não faria de novo…. Gasto muita energia e de retorno ganho desrespeito e indiferença.
    Crio ela desde que tinha 12 anos, agora está com 24 e ainda dando dor de cabeça… Estou há um passo de me separar e não pretendo nunca mais criar filho(a) dos outros.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×