Machismo no casamento nos dias atuais: como lidar?

Existem relações em que homem é visto como o protagonista, e ainda hoje o machismo é comum.

Imagine ter de seguir à risca um manual de comportamento para preservar o casamento. Pense, então, que esse manual é direcionado só à mulher e que ela deve sempre pensar apenas e tão somente no bem-estar do parceiro, servindo-o da melhor maneira possível. Parece absurdo, não é? Mas até pouco tempo isso existia e, ainda hoje, pasme, pode acontecer.

Segundo as especialistas do Instituto do Casal, Denise Miranda de Figueiredo e Marina Simas de Lima, esses casamentos que parecem ter saído diretamente das cartilhas de comportamento dos anos 1950 podem até configurar relacionamento abusivo. “Toda relação em que o poder é protagonista e que gera medo em um dos parceiros pode ser considerada uma relação com comportamentos abusivos”, afirma Denise.

Diferentemente do que muitos podem achar, abuso emocional também é abuso, e as denúncias acerca deste tipo de comportamento apenas aumentam. De acordo com a Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres, o número de registros de violência psicológica cresceu de 16.845 para 47.721 em 2017 na Central de Atendimento à Mulher.

A construção de uma relação nesses moldes, apesar de toda a emancipação feminina, é cultural. Ainda hoje, mesmo com todos os movimentos e algumas mudanças alcançadas, há relações focadas na desigualdade e no machismo, em que o poder é protagonista; e não na diferença, que aparece como possibilidade de construção de uma relação de parceria e respeito.  “Em um relacionamento onde a mulher não tem espaço para expressar o seu desejo e não tem voz, não há ganho para ambos, apenas para o homem”, explica Marina.

Modelo patriarcal

O modelo patriarcal sempre serviu de parâmetro para entendermos a história da família brasileira através dos tempos. Na literatura, por muito tempo, a ideia da mulher brasileira como sexo frágil e belo e do homem sexo forte e nobre foi enfatizada. No regime patriarcal, o universo masculino caracteriza-se pelo poder de mando e autoridade, a organização familiar gira ao seu redor; sendo a mulher e os filhos submetidos à sua força, intelectualidade e racionalidade. “A sociedade mudou quando as mulheres passaram a ter condições de se manter, com profissão e carreira, e deixaram de ser totalmente dependentes dos homens financeiramente e emocional “, pontua Marina.

O caminho, no entanto, foi tortuoso. Ao longo dos anos, esse conceito foi mudando a duras penas e segue em evolução. “Liberdade sexual e direito ao divórcio foram alguns dos temas abordados pelos movimentos de luta feminista, que possibilitaram mudanças no papel da mulher e em relação à sociedade e nos relacionamentos afetivos e sexuais”, conta Denise. A pílula anticoncepcional, fabricada e lançada nos Estados Unidos em 1960, foi outro marco importante, que proporcionou à mulher controle sobre seu próprio corpo, produzindo um novo modelo de comportamento que contradizia os valores de uma sociedade moralista e conservadora.

Os movimentos feministas, de acordo com as especialistas, têm papel fundamental no entendimento da posição da mulher no mundo. “Não há como negar que esses movimentos trouxeram reflexões e mudanças no papel da mulher na família, na maternidade e na relação entre o público e o privado”, diz Denise.

Caminho para mudança

Nem sempre é fácil mudar, mas, se você está em uma relação em que percebe que apenas o homem é beneficiado, talvez seja o momento de questionar, já que a situação e o machismo pode ser maléfico. Para Marina, a que mulher cuida do homem, dos filhos, da casa pode não ter tempo para si. “Quando a pessoa vive exclusivamente em função dos outros, não se conecta com que lhe dá prazer, como hobbies”, diz. A falta de liberdade é uma tônica de relações assim. “Uma das dificuldades do relacionamento configurado dessa maneira é a rigidez dos papeis de homem e mulher dentro da relação, Assim, há pouco respeito com os espaços individuais”, completa Denise.

Segundo elas, a comunicação pode ser uma arma eficaz para virar o jogo. “Negociação, diálogo e empoderamento feminino são necessários para construir algo diferente”, afirma Marina. De acordo com Denise, conversas podem ajudar os casais a perceberem as dificuldades dessa relação e buscarem alternativas mais saudáveis para viver em parceria. “Se não conseguirem efetuar as mudanças sozinhos, vale a busca de um mediador terapeuta de casal que pode intermediar e contribuir na construção de um novo modelo de relação”, finaliza.

Conheça o que pregava uma cartilha de casamento antiga:

Confira em nosso blog outros assuntos que podem te ajudar!
Está vivendo uma relação que possa estar vendo o machismo? Nós, Denise Figueiredo e Marina Simas, sócias-diretoras do Instituto do Casal, podemos te ajudar!
Entre em contato pelo e-mail contato@institutodocasal.com.br  ou pelo telefone: (11) 99404-2702

Acompanhe nossas Redes Sociais:

Instagram: https://www.instagram.com/institutodocasal

Facebook: https://www.facebook.com/institutodocasal

6 respostas

  1. Conheci um rapaz e depois de um tempo ele praticamente mudou muito antes nós tínhamos planos de casar, mais ele desfez o casamento e o pior tem hora que sinto que ele é machista quando fala das minhas roupas as vezes o jeito que fala comigo. Não sei o que fazer porque ele não aceita que age dessa maneira

  2. Conheci um rapaz e depois de um tempo ele praticamente mudou muito antes nós tínhamos planos de casar, mais ele desfez o casamento e o pior tem hora que sinto que ele é machista quando fala das minhas roupas as vezes o jeito que fala comigo. Não sei o que fazer porque ele não aceita que age dessa maneira

  3. Oiee sou Daniela tenho 24 faz 5 anos que estou casada , mas não estou feliz nesse casamento no momento eu não trabalho fico só em casa por ser uma opção minha mas também o meu marido concordou com isso ele está me sufocando cada vez mais , ele já não deixa eu fazer cursos para eu exercer alguma profissão no mercado de trabalho é o que eu mas quero ser independente, ele fala pra mim ficar em casa e ter filhos pois pra ele já está na hora de engravidar e cuidar dos filhos e da casa , preciso muito de ajuda pois faz tempo que quero sair desse relacionamento penso que não o amo mais os planos que ele faz não me interessa mais , preciso conquistar minhas coisas preciso respirar obrigada !!

    1. Olá Daniela, a conversa e o diálogo com seu marido pode ajudar a perceberem as dificuldades dessa relação e buscar alternativas mais saudáveis para viver em parceria. Se não conseguirem efetuar as mudanças sozinhos, vale a busca de um mediador terapeuta de casal que pode intermediar e contribuir na construção de um novo modelo de relação. Se achar conveniente ligue para nós. Podemos te ajudar.

    2. Olá Daniela, a conversa e o diálogo com seu marido pode ajudar a perceberem as dificuldades dessa relação e buscar alternativas mais saudáveis para viver em parceria. Se não conseguirem efetuar as mudanças sozinhos, vale a busca de um mediador terapeuta de casal que pode intermediar e contribuir na construção de um novo modelo de relação. Se achar conveniente ligue para nós. Podemos te ajudar.

  4. Oiee sou Daniela tenho 24 faz 5 anos que estou casada , mas não estou feliz nesse casamento no momento eu não trabalho fico só em casa por ser uma opção minha mas também o meu marido concordou com isso ele está me sufocando cada vez mais , ele já não deixa eu fazer cursos para eu exercer alguma profissão no mercado de trabalho é o que eu mas quero ser independente, ele fala pra mim ficar em casa e ter filhos pois pra ele já está na hora de engravidar e cuidar dos filhos e da casa , preciso muito de ajuda pois faz tempo que quero sair desse relacionamento penso que não o amo mais os planos que ele faz não me interessa mais , preciso conquistar minhas coisas preciso respirar obrigada !!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×