Nossos filhos saíram de casa, e agora?

Nossos filhos saíram de casa, e agora?

Você entra no quarto e seu (sua) filho (a) não está mais lá. Na hora das refeições é quase automático colocar o prato dele ou dela no lugar de sempre. Mas, daí você se lembra que ele ou ela já não mora mais com você. Quantas sensações misturadas: solidão, tristeza e saudades são alguns dos[…]

Como o desemprego afeta o casamento

Como o desemprego afeta o casamento

A crise econômica que afeta o Brasil também atinge as famílias, já que 12,7 milhões de pessoas encerraram 2017 sem emprego, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Naturalmente, sem recursos financeiros para pagar as contas e manter o padrão de vida o qual a família estava acostumada, o estresse pode aumentar,[…]

Projetos em comum ajudam na satisfação conjugal

Projetos em comum ajudam na satisfação conjugal

O ano novo chegou e com ele aquela vontade de fazer planos e traçar metas, como fazer uma atividade física, perder peso, comprar um carro, mudar de casa, entre outros, fica mais intensa. Cada pessoa tem sua maneira particular de escolher seus objetivos para o Ano Novo. Mas, sabia que isso também é saudável para[…]

O eterno dilema: onde vamos passar o Natal?

O eterno dilema: onde vamos passar o Natal?

Nem todas as pessoas celebram o Natal, já que se trata de uma data ligada à religião. Mas, para as famílias que adoram as festas natalinas, a data não pode passar em branco. Entretanto, alguns casais já começam a sofrer antecipadamente em pensar no dilema de todos os anos: onde passaremos o Natal? Com a[…]

Conta conjunta ou separada? Eis a questão

Conta conjunta ou separada? Eis a questão

Quando se assume uma vida a dois, o casal, via de regra, decide compartilhar a vida, as emoções, as conquistas, as derrotas. Mas, quando o assunto é compartilhar ou não a conta bancária, esta decisão pode ser mais difícil do que se imagina. Há, por exemplo, quem considere uma grande facilidade ter a conta conjunta.[…]

Atenção casais: não tratem seus parceiros como filhos!

Atenção casais: não tratem seus parceiros como filhos!

Muitos casais adquirem, ao longo do tempo, uma série de dinâmicas que podem prejudicar o relacionamento conjugal. Há, por exemplo, os competidores, aqueles que disputam entre si algum tipo de superioridade, os melhores amigos, que transformam a relação num sistema exclusivo de amizade, os dependentes emocionais, que transferem a felicidade e a autorrealização ao outro,[…]

Descobri que meu marido é gay, o que eu faço?

Descobri que meu marido é gay, o que eu faço?

Diversidade é uma palavra que está na moda e abriu espaço nos últimos anos para uma maior liberdade de ser e de se relacionar, entre outros aspectos. Esta liberdade talvez tenha sido a força motriz para que muitas pessoas hoje assumam uma orientação sexual diferente daquela que haviam vivenciado anteriormente. Segundo a psicóloga, terapeuta de[…]

Aceitar o outro como ele é: um dos segredos dos casais felizes

Aceitar o outro como ele é: um dos segredos dos casais felizes

No começo de um relacionamento, pode até ser que a aproximação aconteça quando encontramos afinidades, tais como mesmo gosto musical, pela gastronomia, por viagens e outras similaridades. Entretanto, ao longo do relacionamento, percebemos que há mais diferenças do que semelhanças. E é exatamente neste ponto que tudo pode ir por água abaixo ou se tornar[…]

9 dicas para gerenciar conflitos no casamento

9 dicas para gerenciar conflitos no casamento

Você sabia que segundo uma pesquisa do psicólogo norte-americano, especialista em casais. John Gottman, 69% dos problemas em um casamento não tem solução? Portanto, pode ser mesmo difícil fazer com que ele abaixe a tampa da privada depois de usá-la ou que ela não deixe os fios de cabelo no box do banheiro. Assim, a[…]

É preciso romper o silêncio sobre o vaginismo, diz especialista internacional

É preciso romper o silêncio sobre o vaginismo, diz especialista internacional

Muitos são os mitos a respeito da sexualidade feminina, incluindo um tema muito pouco abordado: o vaginismo, que segundo estimativas pode atingir cerca de 5% das mulheres. Mas, para especialistas, como a fisioterapeuta espanhola Pilar Pons, esse número pode ser bem maior, já que a maioria das mulheres sofre calada por anos a fio. Para[…]

 

Responsável Técnico: Marina Simas de Lima – CRP 0644524-5

Nosso material tem como único objetivo fornecer informações e não deve ser utilizado
para realizar autodiagnóstico, autotratamento ou automedicação.
Em caso de dúvidas, consulte um médico.

Termos e Serviços