Perda de um grande amor pode levar à Síndrome do Coração Partido

Perda de um grande amor pode levar à Síndrome do Coração Partido

O termo “coração partido” é usado muitas vezes como metáfora em poemas, músicas e cartas de amor. Na medicina, porém, tem um significado muito mais literal: é uma disfunção do ventrículo esquerdo (VE), reversível na ausência de coronariopatia obstrutiva, chamada de Síndrome do Coração Partido. Já, na psicologia, esse fenômeno pode ter sérias implicações emocionais, sobretudo em casos de viuvez.

Geralmente, a Síndrome do Coração Partido é causada por um estresse intenso e seus sintomas são idênticos aos de um infarto agudo do miocárdio. O nome médico que se dá é doença de Takotsubo.

Segundo a psicóloga e terapeuta de casais, Denise Miranda de Figueiredo, cofundadora do Instituto do Casal, o estresse é uma condição importante para o desenvolvimento de diversos problemas de saúde. “A morte do (da) parceiro (a) ou até mesmo o divórcio, representa um importante evento estressante, com forte impacto emocional.

Viuvez coloca saúde em risco
De acordo com a Fundação Britânica para o Coração, cerca de três quartos das pessoas com o diagnóstico de Síndrome do Coração Partido sofreram estresse físico ou emocional significativo antes de ficarem doentes.

Estudos mostram que a perda de um ente querido ou de um cônjuge tem impacto direto na saúde. Recente pesquisa publicada no JAMA indicou que o número de idosos que sofreram ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral (AVC) no mês seguinte ao da morte de um ente querido foi o dobro em relação a um grupo de controle com idosos que não estavam de luto.

A psicóloga e terapeuta de casais, Marina Simas, cofundadora do Instituto do Casal, lembra que, em casos de viuvez abrupta, é importante tratar o estresse e as dores emocionais provenientes dessa perda. “Sabe-se, porém, que a passagem pelo processo de luto permite ao viúvo resinificar e reorganizar a vida, o que será fundamental para reduzir os riscos de uma eventual Síndrome do Coração Partido”, diz.

Sintomas
As manifestações da Síndrome do Coração Partido são muito semelhantes às de um infarto. A pessoa pode apresentar dor no peito, queda de pressão, tontura e desmaio.  A diferença é que no infarto as artérias se fecham e não voltam a funcionar e na síndrome não há obstrução. O que ocorre é que a alta descarga de adrenalina e de outros hormônios do estresse sobrecarregam o coração levando à manifestação dos sintomas.

Fatores de Risco
Ser mulher, estar na pós-menopausa e passar por um evento estressante, como a perda de um amor, são os principais fatores de risco. Cerca de 90% das vítimas são mulheres com esse perfil, mas a doença também pode afetar os homens. Outra curiosidade é que ocorre mais no inverno e no verão, em altas ou em baixas temperaturas.

“Nossas emoções estão diretamente ligadas à nossa saúde física. O estresse é um problema que atinge a maioria da população brasileira. Pode afetar nosso sono, desejo sexual, nossos relacionamentos e também a nossa saúde cardíaca. Por isso, é muito importante procurar ajuda psicoterápica para lidar com situações como viuvez ou divórcio, assim como manter os exames preventivos em dia”, concluem as terapeutas.

Compartilhe no

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

 

Responsável Técnico: Marina Simas de Lima – CRP 0644524-5

Nosso material tem como único objetivo fornecer informações e não deve ser utilizado
para realizar autodiagnóstico, autotratamento ou automedicação.
Em caso de dúvidas, consulte um médico.

Termos e Serviços